Ex-técnico exalta Gabriel Jesus e reformulação do Palmeiras

Após ficar cerca de um ano e dez meses à frente da equipe, Diogo Giacomini comentou o processo de reformulação da base do qual fez parte e revelou um alinhamento com o futsal do Alviverde para auxiliar no surgimento de novos talentos

Presente na campanha da última Copa São Paulo de Juniores, Diogo Giacomini por pouco não conduziu o Palmeiras à disputa do título inédito na 46ª edição da competição.

Após ser eliminado pelo Botafogo-SP – vice-campeão – nas semifinais, o técnico optou por romper de forma amigável com o clube para atender a demandas familiares. Mesmo assim, o treinador se disse honrado por ter passado pelo Alviverde e destacou o jovem Gabriel Jesus como uma aposta promissora a médio prazo.

Depois de o garoto despontar como artilheiro do Campeonato Paulista sub-17 2014 ao marcar 37 gols em 22 jogos, muito furor foi gerado acerca de sua renovação, acertada por mais três anos – com mais dois renováveis – em dezembro passado.

Giacomini elogiou a capacidade de finalização do jogador e reforçou o fato de ter “cabeça boa”. (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Giacomini elogiou a capacidade de finalização do jogador e reforçou o fato de ter “cabeça boa”. (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Em janeiro, Gabriel foi comandado por Giacomini em sua primeira Copinha da carreira, e se destacou novamente ao marcar cinco gols em seis jogos, sendo um dos goleadores da equipe na competição.

Em conversa com a Gazeta Esportiva.Net, o treinador elogiou a capacidade de finalização do jogador e reforçou o fato de ter “cabeça boa”.

“Eu não tenho dúvidas que no momento que ele tiver oportunidade vai dar o retorno para o clube e para a torcida. É um jogador com muito recurso técnico, principalmente de finalização. É um exímio finalizador. Tem uma intensidade de jogo muito alta, participa na defesa e no ataque, mantém um ritmo de jogo alto. É praticamente completo, tem velocidade, força e resistência. É um jogador que o Palmeiras vai ter um retorno porque dificilmente vai se perder no extracampo. Tem cabeça boa, dificilmente vai perder de vista o que ele quer, com o tempo o intercâmbio vai ser muito benéfico”, disse.

Após ficar cerca de um ano e dez meses à frente da equipe, Diogo comentou o processo de reformulação da base do qual fez parte e revelou um alinhamento com o futsal do Alviverde para auxiliar no surgimento de novos talentos.

Quando cheguei, percebi que o Palmeiras estava muito atrás dos principais clubes brasileiros com relação à formação de jogadores. Fizemos um processo de reformulação, ligamos a base ao futsal do clube para que a avaliação de jogadores se desse de forma mais fácil”, avaliou.

Forçado a abandonar o projeto no Verdão para ficar na companhia da esposa e da filha de seis meses em Belo Horizonte, o mineiro – que atualmente coordena o sub-17 do Cruzeiro – se mostrou orgulhoso com a experiência Palmeiras e avaliou positivamente o trabalho desenvolvido.

“Foi uma honra e um orgulho muito grande ter dirigido o sub-20 do Palmeiras por quase dois anos. Saio com a sensação de dever cumprido, deixei um time montado e um sub-20 talentoso para servir a médio e longo prazo ao profissional”, declarou Diogo. “Só lamento não ter dado a primeira Copa São Paulo ao Palmeiras, um título que seria marcante”, ponderou.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post