Pós-Jogo: Sem Piedade! Palmeiras 4×0 SPFC

Diego Garcia Barboza (@diegogarbar)
Redação Mídia Palmeirense

FELIZES AQUELES QUE ESTIVERAM PRESENTES NO ALLIANZ PARQUE, NA ENSOLARADA TARDE DE DOMINGO! Os 29.233 alviverdes que compareceram ao jogo acreditando na vitória do Verdão, saíram com um presente na memória. No segundo Choque-Rei do ano, o Palmeiras novamente massacrou o SPFC em casa e construiu outra goleada em cima do rival. Dessa vez, porém, o placar foi ainda mais elástico: 4×0 para o Verdão. O Palmeiras não tomou conhecimento do adversário e apresentou um grande futebol diante de sua torcida, com direito a gritos de “Olé” no fim da partida e algumas chances desperdiçadas que poderiam ter aumentado ainda mais o marcador. A resposta que a torcida esperava do time foi dada em grande estilo e finalmente o desempenho visto no Paulistão foi retomado. Exatamente contra o mesmo SPFC que nocauteamos naquela situação inicial de desconfiança no começo do ano.

A concentração em Atibaia nesta semana deu resultado. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

A concentração em Atibaia nesta semana deu resultado. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

A concentração de quatro dias em Atibaia parece ter surtido o efeito esperado por Marcelo Oliveira sobre o elenco. A estreia contra o Grêmio não teve o resultado esperado, então o Palmeiras se refugiou na cidade do interior, para que o treinador fizesse os ajustes necessários e pudesse conhecer melhor a equipe, e assim implementar a sua filosofia de jogo. Apesar de apenas uma mudança no time em relação ao jogo passado, o Palmeiras se comportou de uma maneira totalmente distinta em campo. Jogou com o time compactado, explorando os contra-ataques e os espaços deixados pelo adversário, com muita marcação, velocidade, toques rápidos e finalizando de maneira impecável para matar a partida.

O jogo começou equilibrado e movimentado, com oportunidades para ambos os times abrirem o placar. O SPFC tinha mais posse de bola e criava, mas o Palmeiras se mostrava mais objetivo, pressionando a saída de bola do inimigo e saindo em velocidade para os contra-ataques. O adversário chegou ao ataque, mas foi o Verdão que soube aproveitar as chances criadas. Após o primeiro gol de Leandro Pereira, o rival sentiu o choque e passou a incomodar menos a defesa palmeirense. Em contrapartida o Palmeiras se soltou e já poderia ter feito o segundo em uma cabeçada de Victor Ramos que explodiu no travessão. Pouco tempo depois, o zagueiro ampliou o marcador em nova cabeçada. O SP até criou chances, mas pecou em suas finalizações.

No segundo tempo, o desenho do embate se manteve e o Palmeiras continuava a explorar os contra-ataques em velocidade depois de roubadas de bola. O rival mostrou ter sentido o baque e o Verdão se aproveitou para matar a partida em dois lances de velocidade e toque de bola, que terminaram no fundo da rede após lindos cruzamentos de Egídio. Duas grandes bolas cruzadas pelo lateral para Rafael Marques (o rei dos clássicos) e Cristaldo. O Verdão ainda poderia ter aumentado o placar, mas jogou com calma e manteve a posse de bola até o árbitro encerrar a partida. Partida irretocável da equipe Palestrina! Uma apresentação de gala, que finalmente deve colocar o time nos trilhos dentro do campeonato. E deve causar problemas para os rivais.

O JOGO

O entorno do Allianz Parque estava lotado, cheio de energia e o clima da torcida era de confiança para o clássico. O Palmeiras entrou em campo com a obrigação de uma vitória no Choque-Rei, para recuperar algumas posições na tabela após um início de campeonato instável. O treinador Marcelo Oliveira fez a sua segunda partida a frente da equipe e mandou a campo praticamente o mesmo time que atuou na rodada anterior: Fernando Prass, Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo e Egídio; Gabriel e Arouca, Dudu, Robinho e Rafael Marques; Leandro Pereira. Em relação ao jogo anterior, somente uma mudança de centroavantes, graças à contusão de Alecsandro. Vale registrar, que o gramado apresentava uma melhora considerável em relação às partidas anteriores.

No início da partida poucas foram as oportunidades criadas, o jogo ainda estava pouco movimentado. O SPFC foi o primeiro a chegar com Luís F., mas sem apresentar muito perigo. Aos 7 minutos, a primeira chegada do Verdão: Robinho enfiou uma bola em velocidade do campo do Palmeiras, para Dudu na esquerda, o atacante cortou para a direita e encontrou novamente Robinho na entrada da área. O meia, inspirado pelo seu gol de placa na 1ª partida, arriscou o chute, mas R. Ceni dessa vez fez a defesa. Aos 11, nova chance para o Alviverde. Em cobrança de escanteio de Robinho no segundo pau, Leandro Pereira subiu alto e cabeceou para outra defesa do goleiro adversário. Aos 18 minutos, a primeira chance do SP. Pato deu um drible de corpo em Victor Ramos no meio campo, conduziu a bola pela esquerda, conseguiu driblar 2 jogadores palmeirenses, passou por Arouca e concluiu na trave. Nesse momento o SPFC mantinha a posse e conseguiu mais duas chegadas com Michel Bastos, que isolou as bolas.

Aos 31 minutos de partida, o gol Alviverde! O Palmeiras pressionou e estava no ataque, mas a defesa do SP conseguiu afastar. Arouca dominou a bola no meio campo com classe e já tocou para a ultrapassagem de Dudu na esquerda. Egídio passou pelas costas do atacante e recebeu o passe; o lateral cruzou rasteiro na entrada da área, Arouca não alcançou, mas a bola encontrou Leandro Pereira, que girou o corpo batendo de esquerda. A bola desviou na mão de Souza e Rogério não conseguiu pegar. 1×0 Verdão!

O gol do Verdão desnorteou o rival, que até então fazia boa partida. Após 2 minutos, nova chance alviverde: em cobrança de escanteio de Egídio, Victor Ramos subiu sozinho na pequena área e testou no contrapé do goleiro, que assistiu a bola explodindo no travessão. O zagueiro, porém se consagraria alguns minutos depois. Em nova cobrança de escanteio, dessa vez de Robinho, Victor Ramos subiu no terceiro andar e testou para o chão, sem chance de defesa para R.C.! 2×0 para o Palmeiras! O SP estava perdido na partida, mas conseguiu criar uma chance aos 46 com Michel Bastos. Fernando Prass fez uma bela defesa com a ponta do pé esquerdo e a partida foi para o intervalo.

Na volta para o segundo tempo, nenhum modificação nas equipes. O jogo voltou morno, até a primeira chance do Verdão aos 6 minutos de jogo: Egídio cobrou falta da intermediária para o meio da área e Vitor Hugo conseguiu cabecear de costas para o gol. A bola subiu e quase encobriu R. Ceni, mas passou raspando a trave para fora. Aos 11 minutos, Leandro P. levou a pior em disputa com Dória e foi retirado de campo. Cristaldo foi chamado para entrar em seu lugar, mas enquanto esperava o arbitro autorizar a substituição, viu a jogada do 3º gol do Verde sair. Com um a menos em campo, a bola saiu da defesa com Gabriel, que tocou para Lucas, o lateral conduziu e tocou para Dudu, que abriu a bola para Arouca, o volante então enfiou para a passagem de Egídio que chegou cruzando rasteiro, a bola atravessou a área inimiga e encontrou Rafael Marques fechando pela direita, que só finalizou no contrapé de R. Ceni, para o fundo da rede! 3×0 para o Palmeiras!! Golaço! Uma aula de contra-ataque com linda troca de passes e Rafael Marques mais uma vez mostrou que é o homem dos clássicos, fez o seu 5º gol esse ano nos nossos maiores rivais, o 3º contra o SP. Grande presença do atacante.

Só então Cristaldo entrou em campo. O Palmeiras tinha o controle total da partida e passou a administrar o jogo com sabedoria. Tocava a bola, e procurava espaços para fazer mais um. O SP tentava esboçar uma reação, mas não se encontrava mais em campo após tomar 3 gols. E o quarto gol do Verdão foi questão de tempo. Aos 26 minutos, o Verdão tinha a posse de bola no meio campo, Rafael Marques tocou para Robinho e recebeu de volta; ele enxergou a esquerda livre e virou o jogo para Egídio, que dominou a bola colocando pra frente e viu Cristaldo se infiltrando por trás da zaga adversária. O lateral deu um cruzamento perfeito da intermediária e Cristaldo chegou completando de cabeça sozinho para o gol. O goleiro ainda tentou defender, mas a bola entrou pela quarta vez em seu gol. 4×0 para o PALMEIRAS!!!! A torcida Alviverde foi à loucura no Allianz Parque! 2ª Goleada do ano no Choque-Rei!!

Cristaldo marcou o 4º gol fechando a goleada alviverde. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Cristaldo marcou o 4º gol fechando a goleada alviverde. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

Aos 31 Cleiton Xavier entrou no lugar de Robinho. O Palmeiras tocava a bola de um lado para o outro e parte da torcida gritava “Olé”, enquanto a outra parte não parava de incentivar. O menino Gabriel Jesus ainda entrou aos 36 minutos no lugar de Dudu, que fez boa partida. O jogo se encaminhava para o fim e Cristaldo ainda fez um lance plástico caído no chão, levantando a bola com os dois pés e tocando para Egídio. O Palmeiras chegou mais duas vezes com perigo, mas havia impedimento nos lances. O SP agonizava esperando o fim da partida. O juiz deu 3 minutos de acréscimo e encerrou o jogo. Vitória maiúscula do Verdão em mais um clássico!

É impressionante como o futebol desse grupo cresce em clássicos. Se nos últimos anos sofremos contra os nossos rivais, em 2015 mostramos uma força enorme e muita personalidade nessas partidas-chave. Em menos de três meses o time superou o SCCP duas vezes em Itaquera e conseguiu aplicar duas goleadas no SPFC no Allianz Parque, acumulando um 7×0 no placar total dos dois confrontos. Uma vantagem enorme nos jogos desse ano contra os dois maiores rivais.

Nessas quatro partidas vimos um time muito aplicado taticamente, com muita marcação de todos os setores, movimentação e ultrapassagem dos laterais, com grande poder de finalização e aproveitamento das chances de ataque. O time se desdobra em campo e mostra brio, mesmo em momentos adversos da partida e não se inibe. Tecnicamente alguns jogadores se destacaram nessas partidas, e hoje Rafael Marques, Gabriel, Arouca, Dudu e principalmente Egídio, que fez a sua melhor partida pelo Palmeiras com três assistências perfeitas, foram muito bem. Provavelmente com um dedo de Marcelo Oliveira que já havia trabalhado com o jogador no Cruzeiro. O treinador conseguiu arredondar o time nessa concentração em Atibaia.

Vencer um clássico tem um sabor maravilhoso e uma goleada nesse confronto eleva demais a moral de todos: time e torcida, que caminham juntos nessa empreitada do Campeonato Brasileiro. A torcida passa a apoiar ainda mais a equipe e o time deixa para trás os maus momentos do início do 1º turno e pode finalmente desempenhar o seu futebol com qualidade/tranquilidade. Esperamos que o elenco consiga manter essa disposição para as próximas partidas, que podem nos colocar na briga pelo topo da tabela. Principalmente porque na quarta-feira enfrentaremos a Chapecoense em casa. Obrigação de garantir mais três pontos. Esse jogo pode parecer fácil, mas encararemos um time que virá jogar fechado, justamente o que vem nos causando mais dor de cabeça esse ano.

Goleada foi importantíssima para resgatar moral da equipe e torcida. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Goleada foi importantíssima para resgatar moral da equipe e torcida. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

Vamos aproveitar essa segunda-feira de ressaca e da imprensa falando bem do Verdão (com destaque em todos os programas). E na terça já voltamos a pensar no próximo jogo.

Vamos Palmeiras! Domingo foi bom demais, nunca esqueceremos dessa goleada! Que seja uma nova Arrancada Heroica! AVANTI!

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 4 x 0 SÃO PAULO

Local: Allianz Parque, em São Paulo-SP
Data: 28 de junho de 2015, domingo
Horário: 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Rogério Pablos Zanardo e Daniel Paulo Ziolli (ambos de SP)
Público: 29.333 pagantes
Renda: R$ 1.989.100,00
Cartões amarelos: Lucas (Palmeiras) Bruno, Hudson e Rafael Toloi (São Paulo)

GOLS:
PALMEIRAS: Leandro Pereira, aos 31, e Victor Ramos, aos 42 minutos do primeiro tempo; Rafael Marques, aos 12, e Cristaldo, aos 26 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo e Egídio; Gabriel, Arouca, Dudu (Gabriel Jesus), Robinho (Cleiton Xavier) e Rafael Marques; Leandro Pereira (Cristaldo) Técnico: Marcelo Oliveira

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Bruno, Rafael Toloi, Dória e Carlinhos; Hudson (Centurión), Souza, Ganso e Michel Bastos; Alexandre Pato (Thiago Mendes) e Luis Fabiano Técnico: Juan Carlos Osorio

Veja mais

Compartilhe Este Post