Sem ‘peso nas costas’, Gabriel vê elenco maduro: ‘Podemos chegar longe’

Ciente da importância de superar o rival fora de casa e também de conquistar o primeiro triunfo no Brasileirão deste ano, o camisa 18 projetou um futuro de sucesso do Verdão no restante de 2015.

Titular absoluto no time do técnico Oswaldo de Oliveira, o volante Gabriel comemorou bastante a vitória por 2 a 0 sobre o Corinthians, no último domingo (31), em Itaquera, durante a entrevista coletiva desta segunda-feira (01), na Academia de Futebol.

“A gente tira um peso que estava em nossas costas, pois não havíamos vencido. Foi a nossa primeira vitória no Brasileiro, e ainda em um clássico. É importante, subiremos na classificação e agora tentaremos uma sequência de vitórias, que é o nosso objetivo. De degrau em degrau, colocaremos o Palmeiras aonde ele deve estar, que é brigando por títulos”, declarou o atleta, que fez elogios ao comandante palestrino.

Gabriel gostou bastante do rendimento palmeirense no duelo deste final de semana. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Gabriel gostou bastante do rendimento palmeirense no duelo deste final de semana. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

“O grupo adora o Oswaldo, isso posso dizer porque vejo as conversas de vestiário. Os jogadores adoram o Oswaldo. O Palmeiras é um time grande e tem de estar na parte de cima da tabela. Claro que ocorreram muitas conversas depois do jogo contra o ASA (pela Copa do Brasil), principalmente para nos blindarmos mais internamente. Não podemos deixar as coisas de fora intervirem em nossas convicções”, disse.

Gabriel, inclusive, gostou bastante do rendimento palmeirense no duelo deste final de semana.

“Se jogarmos todos os jogos com esse nível de atenção do começo ao fim da partida, podemos chegar muito longe. Não só os jogadores que jogaram, mas os que entrarão também. Se tivermos esse nível de concentração, nós chegaremos ao topo da tabela e brigaremos pelo Campeonato Brasileiro e pela Copa do Brasil”, falou o volante, que demonstrou muita confiança no elenco verde e branco.

“Nas fases finais do Paulista, a gente já via um time formado e maduro. Como os resultados não estavam vindo no começo do Brasileiro, começou a desconfiança por parte de fora. É importante dizer que, internamente, sempre tive convicção de que o trabalho estava sendo bem feito. Tinha certeza que a vitória voltaria a acontecer. Contra o Goiás e o ASA, o time teve dificuldades. Sabíamos que o Oswaldo estava em uma situação pressionada, e nós, jogadores, também. A torcida nos cobrava porque via um time com qualidade e que poderia render mais”, declarou.

E, agora com o primeiro resultado positivo no Nacional, o palmeirense crê em uma equipe mais leve para a sequência do ano.

“O grupo não pode carregar esta pressão, o grupo é bem experiente quanto a isso. Já tinha a pressão de não vencer clássicos, e conseguimos quebrá-la. Tenho certeza de que o grupo não levará peso, entrará leve em campo e feliz, vestindo a camisa do Palmeiras para começar a vencer. Temos um grande jogo contra o Internacional e sabemos que

temos de buscar a vitória até o final”, completou, referindo-se ao duelo desta quinta-feira (04), às 21h, no Allianz Parque, pela quinta rodada do Brasileiro.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post