Pós-Jogo: Embalou! Ponte Preta 0 x 2 Palmeiras

Diego Garcia Barboza (@diegogarbar)
Redação Mídia Palmeirense

O Verdão foi à Cuiabá, venceu sua terceira partida consecutiva e está a 3 pontos do G-4. Embalamos! E temos tudo para entrar de vez na briga já na próxima partida, no Allianz Parque, contra o Avaí. O mando era da Ponte, mas a decisão de tirar o jogo de Campinas, por questões financeiras, e levar para a Arena Pantanal foi um tiro no pé do adversário, pois atuamos praticamente em casa. O campo era neutro e os times não estavam habituados com o estádio, mas a torcida palmeirense compareceu em peso e logo tratou de transformar o ambiente a nosso favor. A impressão é de que jogávamos em São Paulo. Situação ideal para o Palmeiras se impor dentro de campo e trazer a vitória na bagagem sem grandes dificuldades.

A Ponte Preta entrou em campo sem três de seus principais jogadores no campeonato. A falta de elenco pesou contra a equipe (que tem um bom time titular, mas sem reservas à altura) e parece ter tirado o fôlego inicial que a colocou no topo da tabela nas primeiras rodadas. É aquela velha história: o Campeonato Brasileiro é longo, disputado e exige um grande elenco nivelado para as suas 38 rodadas. Problema que já aparece para o time de Campinas. Em contrapartida, o Palmeiras tem um elenco farto, equilibrado em praticamente todas as posições e conseguiu repetir a sua escalação pela terceira rodada seguida. A equipe encorpou desde que Marcelo Oliveira chegou e vai brigar pela parte de cima da tabela, como todos acreditavam no começo do Brasileiro. O time finalmente se consolidou.

O Palmeiras foi melhor praticamente em todo o jogo e aproveitou as chances criadas para matar a partida. Dois jogadores se destacaram e resolveram o placar para o Verdão: Rafael Marques foi o garçom da noite, com duas assistências na medida para o matador Dudu. Papéis invertidos nessa noite de domingo. No primeiro gol, Rafael Marques de dentro da área, enfiou uma bola “com as mãos” para Dudu completar de cabeça. No segundo gol, Leandro Pereira fez o pivô, a bola sobrou para Rafael Marques que tocou de primeira para Dudu empurrar de esquerda para as redes. A partida terminou 2×0 para o Palmeiras e nos colocou na 7ª posição da tabela, a 5 pontos da liderança (nas rodadas anteriores estávamos a 9). Estamos buscando.

O JOGO   

Estiveram presentes na Arena Pantanal, 11.074 pagantes, segundo o que foi divulgado pela administração do estádio. A impressão é de que havia o dobro. Independente do público total, a torcida alviverde, que deu show desde a recepção do time no aeroporto, fez o mesmo dentro de campo. Muita paixão e força em todos os cantos do Brasil. Como o esperado, o Palmeiras foi a campo com a mesma equipe que atuou nas duas rodadas anteriores: Fernando Prass, Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo e Egídio; Gabriel e Arouca; Rafael Marques, Robinho e Dudu; Leandro Pereira.

Dudu foi um dos destaques da equipe palestrina, com bela atuação e dois gols no jogo. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Dudu foi um dos destaques da equipe palestrina, com bela atuação e dois gols no jogo. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

A primeira oportunidade foi da Ponte Preta, logo aos 2 minutos: Cesinha apareceu nas costas de Lucas pela esquerda e cruzou para Felipe Azevedo na medida, que chegou à frente de Egídio, mas completou para fora. A partir daí, o Palmeiras tomou conta da partida com o mesmo futebol visto nos últimos jogos e aos 8 minutos já inaugurou o placar. Dudu estava na ponta esquerda da área, tocou para a passagem de Egídio, que tentou o cruzamento, mas a bola explodiu na marcação e subiu. Dudu cabeceou para o meio da área, o zagueiro da Ponte afastou mal e a bola sobrou no pé de Rafael Marques. O atacante dominou e enfiou uma bola alta primorosa na diagonal, pelas costas da zaga, para Dudu que veio na corrida e completou de cabeça. Um lindo gol, graças à visão de jogo de Rafael Marques e a movimentação de Dudu.

Após o gol o Verdão se manteve no controle da partida e a Ponte sem os seus principais jogadores não conseguia criar nada. As tentativas da equipe vinham através de chutões para frente, mas Victor Ramos e sobretudo Vitor Hugo, rechaçaram todas as tentativas do adversário. O domínio Alviverde não foi traduzido em lances de perigo, mas quando voltamos a ter uma chance clara de gol, não perdoamos. Vitor Hugo estourou a bola para o alto, Leandro Pereira brigou, conseguiu escorar, caiu, mas a bola sobrou para Rafael Marque que veio de trás, ajeitou e tocou para Dudu, que invadia a área com velocidade, completar de esquerda pro fundo das redes! Segunda assistência do garçom Rafael Marques e o segundo gol do baixinho Dudu! 2×0 para o Palmeiras! E assim acabou o primeiro tempo.

No segundo tempo, Robinho pouco presente deu lugar para a entrada de Zé Roberto. A equipe da Ponte Preta mudou a postura em relação ao 1º tempo e veio com tudo para cima do Palmeiras. Aos 5 minutos Paulinho acertou um chute rasteiro de fora da área, no canto direito de Fernando Prass, que caiu para a defesa. Aos 11 minutos, Felipe Azevedo fez uma grande jogada individual. Driblou três jogadores do Palmeiras na base da vontade e concluiu mesmo com Arouca e Vitor Hugo fechando, mas a bola subiu e foi pra fora. Aos 14 a primeira resposta do Verdão. Dudu arriscou batida de fora da área, mas a bola passou a direita de Marcelo Lomba.

A marcação do Palmeiras estava muito frouxa na sua intermediária e a Ponte Preta na base da correria, assustava, mas não conseguia aproveitar as suas chances. O meio-campo Verde não conseguia trocar passes e tratava de devolver a bola nos pés do adversário. O jogo já não era mais confortável como no 1º período. Biro-Biro entrou aos 29 e passou a dar mais trabalho para a defesa palmeirense. Aos 31, a melhor chance do time de Campinas: tabela dentro da área do Palmeiras, Felipe Azevedo saiu por trás da zaga e Prass saiu para fechar, o atacante conseguiu tocar para Biro-Biro que chegou batendo pra fora com o gol vazio. Aos 37, uma lambança de Prass na linha de fundo, mas a defesa do Verdão conseguiu afastar na continuação do lance. Aos 40 chance para o Palmeiras: Zé Roberto driblou dois no meio-campo e enfiou a bola para Dudu entre dois jogadores da Ponte, o atacante driblou Marcelo Lomba, mas ficou sem ângulo e bateu para fora. Seria o terceiro da noite.

Ainda teve tempo para Churry, que entrou no lugar de Leandro Pereira quase guardar o seu: arrancada de Dudu pela esquerda, que conduziu e tocou na medida para o argentino, que fechou no primeiro pau batendo de esquerda, para a defesa de Lomba. Essa foi a última grande chance da partida, que foi encerrada aos 48 minutos.

O Palmeiras emendou a sua terceira vitória consecutiva e os números comprovam a evolução do time dentro de campo: são 3 vitórias nos últimos 3 jogos, com 8 gols marcados e nenhum sofrido. Com o triunfo fora de casa, já estamos com uma campanha equilibrada fora de nossos domínios (quase 50% de aproveitamento) e Marcelo Oliveira sabe a importância disso para que o time brigue pela ponta do Campeonato. Rafael Marques é a grata surpresa do time e talvez seja o melhor jogador da equipe nesse ano. O meia/atacante, que chegou com desconfiança de 99% dos torcedores, vem desempenhando um papel brilhante em campo, com gols decisivos em clássicos, assistências, muita versatilidade, inteligência e entrega dentro de campo. Ele vai de garçom a matador. Dudu vem melhorando a cada partida desde que Marcelo Oliveira chegou, nos jogos anteriores mostrou muita vontade, se doou na marcação e deu assistência. Ontem fez 2 gols entrando em velocidade pelo meio da área e poderia ter fechado com 3. Bela atuação e muita mobilidade em campo.

Rafael Marques teve noite de garçom, com duas assistências para gols de Dudu. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Rafael Marques teve noite de garçom, com duas assistências para gols de Dudu. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

Outros jogadores do time atravessam ótimas fases também. Se não tomamos nenhum gol nas últimas três rodadas, devemos lembrar-nos da parte defensiva do time. Vitor Hugo evoluiu muito, está mais seguro e fez grandes jogos. Victor Ramos está mais tranquilo e tem se saído bem também. O menino Gabriel é o jogador mais regular da equipe e talvez não tenha feito nenhuma partida abaixo do esperado no ano, muito eficiente. E Arouca é um jogador muito versátil, tanto na marcação, quanto na saída de bola e parece ter retomado o seu futebol visto em outras equipes. Alguns acham que passamos a jogar melhor naturalmente, mas Marcelo Oliveira foi o responsável por transformar o grupo de jogadores em um time dentro de campo. O treinador usa o mesmo esquema de Oswaldo e os mesmos jogadores, mas a diferença é notável quando vemos a compactação de espaços, marcação, coletividade do jogo e os crescimentos individuais. Os números na defesa e ataque mostram isso.

Como ponto negativo podemos falar de Cleiton Xavier, que está rendendo muito abaixo do que sabemos que pode apresentar. No jogo de ontem entrou no lugar de Rafael Marques e o time caiu muito de produtividade. Ele errou alguns passes fáceis e perdemos em marcação. O jogador está fora de forma e ainda não fez nenhuma grande partida desde que voltou. Não é a toa que foi reserva com os dois treinadores. Se Valdívia for embora (quase certeza), ele assumirá a camisa 10 da equipe naturalmente por sua experiência, mas não pelo futebol dentro de campo. O time, porém, está adaptado a jogar sem a presença de um meia armador e ele terá de melhorar muito para tomar a vaga de Robinho, que também está abaixo do que vimos no começo do ano.

A projeção de Marcelo Oliveira, de conquistar 12 pontos em 4 partidas (SPFC, Chapecoense, Ponte Preta e Avaí), está muito próxima de ser atingida. Enfrentaremos a equipe de Santa Catarina, no Allianz Parque lotado e, pelas últimas apresentações, a vitória é muito provável. A euforia, porém, deve ficar com a torcida; os jogadores devem se manter concentrados e com os pés no chão, para evitar uma surpresa desagradável. Um jogo por vez. E aí, vamos para as cabeças!

Saudações Palestrinas! Vamos Palmeiras!!!

FICHA TÉCNICA

PONTE PRETA 0 X 2 PALMEIRAS

Local: Arena Pantanal, em Cuiabá (MT)
Data: 5 de julho de 2015, domingo
Horário: 18h30 (de Brasília)
Público: 11.074 pagantes
Renda: R$ 800.370,00
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araujo (SP)
Assistentes: Vicente Romano Neto e Alex Alexandrino (ambos de SP)
Cartões amarelos: Lucas, Victor Ramos e Dudu (Palmeiras); Cesinha, Vitor Xavier e Pablo (Ponte Preta)

Gols:PALMEIRAS: Dudu, aos oito e aos 39 minutos do primeiro tempo

PONTE PRETA: Marcelo Lomba; Rodinei, Renato Chaves, Pablo e Gilson; Juninho, Vitor Xavier e Paulinho (Leandrinho); Felipe Azevedo, Roni (Biro Biro) e Cesinha (Diego Oliveira)
Técnico: Guto Ferreira

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo e Egídio; Gabriel e Arouca; Rafael Marques (Cleiton Xavier), Robinho (Zé Roberto) e Dudu; Leandro Pereira (Cristaldo)
Técnico: Marcelo Oliveira

Veja mais

Compartilhe Este Post