Pós-Jogo: Sport 2 x 2 Palmeiras – Bom resultado, mas com sabor amargo..

Diego Garcia Barboza (@diegogarbar)
Redação Mídia Palmeirense

Poderia ter sido melhor. Mas também poderia ter sido pior. Foi um jogaço. O Palmeiras tem uma campanha praticamente irretocável com Marcelo Oliveira a sua frente, com 4 vitórias nos últimos 4 jogos, em uma escalada impressionante rumo ao G-4, mas com 3 desfalques importantíssimos em sua defesa (3 titulares, 2 na zaga e 1 na lateral esquerda). Uma dupla de zaga que nunca atuou junta foi escalada e João Paulo que não jogava há 4 meses foi o titular na esquerda. E encararia fora de casa, um dos adversários mais indigestos do campeonato. O Sport com 100% de aproveitamento jogando em casa (6 vitórias em 6 jogos), foi líder da competição até duas rodadas atrás, mas ficou dois jogos sem vencer, caiu algumas posições e precisava da vitória no jogo de ontem a qualquer custo. Sua torcida compareceu em peso para apoiar. Todas essas situações somadas resultariam em uma aposta de um grande jogo. E foi o que aconteceu.

O jogo foi muito intenso, com chances para ambas as equipes, que desde o início estavam atrás da abertura do placar. O Sport tinha mais posse de bola, mas esbarrava na marcação do Verdão; que explorava os contra-ataques e levava perigo quando chegava à área adversária. Mas acabou levando um gol de cabeça exatamente quando era melhor no jogo. Depois de sofrer o tento, o Palmeiras foi pra cima e não demorou muito para achar o empate em boa jogada de Gabriel e cabeçada de Leandro Pereira. O jogo foi para o intervalo e o palmeirense tinha a sensação de que a vitória era possível.

No segundo tempo o Verdão voltou melhor e conseguiu a virada com o oportunismo de Leandro Pereira novamente. O problema é que o Palmeiras se acuou e aí o Sport veio com tudo pra cima atrás do empate. A partir daí, a figura de Prass foi a mais presente no jogo. O arqueiro segurou um bombardeio da equipe pernambucana. O Verdão não conseguia sair de trás e estava sufocado em sua intermediária. Uma chance no contra-ataque seria o suficiente para matarmos a partida. E ela veio aos 43 minutos no pé do menino João Pedro, lateral direito, improvisado na esquerda. Ele recebeu um lindo passe de Leandro Pereira e saiu na cara de Danilo Fernandes; mas tentou driblar o goleiro e desperdiçou a chance do terceiro gol. No lance seguinte o castigo saiu caro. O Sport conseguiu empatar aos 45 minutos. E o torcedor palmeirense que segurou o enfarto durante toda a partida, ficou decepcionado com o resultado final. Apesar de ele não ter sido ruim.

O JOGO  

O Palmeiras foi a campo com o time bastante modificado em sua parte defensiva, devido às suspensões de Victor Ramos e Egídio, e a lesão de Vitor Hugo no rosto. Coube aos reservas, Jackson e ao recém-chegado Leandro Almeida fazerem a dupla de zaga, e a João Paulo fazer a lateral esquerda depois de meses. O resto do time não teve modificações em relação ao jogo passado. O Verdão foi a campo com: Prass, Lucas, Jackson, Leandro Almeida e João Paulo; Gabriel e Arouca; Rafael Marques, Zé Roberto e Dudu; Leandro Pereira.

A partida mal começou e o Palmeiras já conseguiu criar uma chance: aos 15 segundos, Zé Roberto enfiou a bola para Leandro Pereira na entrada da área pela direita, o atacante bateu cruzado, mas a bola saiu à direita de Danilo. Aos 12 minutos novamente uma chance para o Verdão. O Sport tentou sair jogando rápido após escanteio do Palmeiras, mas André tocou para trás e a bola caiu nos pés de Dudu de graça na direita, ele cruzou a bola para o meia da área, mas ela passou por Leandro Pereira e Leandro Almeida completou impedido.

Aos 16, a primeira chance do Sport: Gabriel tentou driblar Diego Souza na lateral esquerda, mas perdeu a bola, o meia conduziu e colocou a bola para Marlone que invadia a área sozinho (Arouca estava marcando o jogador e não acompanhou até o fim); ele dominou e bateu forte cruzado, mas Fernando Prass defendeu. Aos 20, o Sport teve nova chance: em falta da intermediária, Diego Souza acertou um chute com muita força e efeito, e Prass defendeu com uma manchete, colocando para escanteio. Diego Souza bateu o escanteio no primeiro pau e Matheus Ferraz se deslocou do meio da área, enganou a marcação e cabeceou cruzado para o chão, sem chances para o nosso goleiro. É o primeiro gol que o Palmeiras sofre em 5 jogos.

O Alviverde não se acuou e foi pra cima do adversário para buscar o placar. Aos 23 minutos a primeira resposta: Zé Roberto cobrou escanteio da esquerda, no primeiro pau e encontrou Rafael Marques, que desviou para o chão. O goleiro Danilo estava vendido no lance, a bola ia entrar no seu canto esquerdo, Dudu ia empurrar para dentro do gol, mas Renê conseguiu antecipar no carrinho e impediu a entrada da bola. Na continuação do lance, Danilo conseguiu segurar. No lance seguinte, outra chance para o Verde: João Paulo carregou pela esquerda e na entrada da área, disparou uma bomba que passou raspando a trave de Danilo.

19026984903_ce4cf56ae8_o
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Leandro Pereira empatou o jogo para o Verdão. (Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

O empate era iminente. O Verdão foi com tudo pra cima e o Sport se acuou na defesa, buscando o contra-ataque. Aos 43, viria a recompensa. João Paulo cobrou lateral para Zé Roberto, que devolveu em seu pé; o 6 achou Gabriel Passando em velocidade, ele invadiu a área, levou para a linha de fundo e cruzou de esquerda para o segundo pau, onde encontrou Leandro Pereira livre para testar forte para o fundo das redes! Grande jogada do menino Gabriel que apareceu como elemento surpresa e bela movimentação de Leandro Pereira que subiu alto para fazer o gol. Jogo empatado em 1×1 e intervalo na Arena Pernambuco.

A partida voltou para o segundo tempo com uma modificação do treinador adversário, para deixar a sua equipe mais ofensiva. Era o sinal de que o Sport viria para cima do Palmeiras. No nosso lado, nenhuma mudança. Aos 9 minutos, Prass recebeu bola recuada por Dudu e tentou fintar o atacante, mas perdeu a bola e quase tomamos um gol de besteira. Mas a bola foi pra fora. Aos 11 minutos a primeira substituição do Verdão: saiu Dudu por cansaço e entrou Kelvin em seu lugar. Pouco tempo depois, aos 13 minutos, gol do Verdão. Jogada entre Lucas e Arouca na entrada da área, a bola sobrou para o lateral no bico direito da área e ele bateu forte, com curva; Danilo defendeu, mas ela caiu nos pés de Arouca, que deu um toquinho alto para nova defesa do goleiro, mas ela sobrou pingando para Leandro Pereira, que bateu para o chão e estufou a rede! Virada do Palmeiras!!! Segundo gol do atacante no jogo, que se tornou o terceiro maior goleador do time no ano. 2×1 para o Palmeiras!!

Leandro Pereira marcou duas vezes para o Verdão. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Leandro Pereira marcou duas vezes para o Verdão. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

A partir daí, porém, o jogo mudou drasticamente. O Palmeiras deveria ter mantido a proposta do jogo, tocar a bola, tentar ampliar o placar, mas mudou a sua postura na partida e ficou fechado em seu campo. O Sport aceitou o convite e veio com tudo para cima, na tentativa do empate. Aí o jogo ficou eletrizante e o torcedor palmeirense estava à beira de um enfarto. Aos 19, Renê conduziu pela esquerda e tocou a bola para o meio da área; ninguém afastou e o atacante André dominou sozinho, conseguiu limpar dois jogadores do Palmeiras, abriu pra direita e bateu para Fernando Prass fazer uma defesaça. Aos 26, Jackson fez uma falta boba quase na entrada da área. Diego Souza cobrou pro meio da área e André que entrava em velocidade, desviou sozinho para o gol; Fernando Prass fez um milagre de puro reflexo com os pés.

Para tentar conter a pressão do Sport, Marcelo Oliveira fez uma substituição para tentar aumentar a marcação. Tirou Zé Roberto do jogo, que dava sinais de cansaço e mandou a campo Andrei Girotto. Sem um meia de ligação, agora as chances do Palmeiras se reduziriam aos contra-ataques. O Sport entendeu o sinal e veio com tudo para o empate. E logo em seguida a última alteração. O treinador sacou João Paulo do time (talvez por cansaço após 4 meses sem jogar) e mandou a campo o lateral direito João Pedro, para jogar invertido. Eduardo Baptista mexeu, tirou Renê e mandou o meia Danilo a campo.

Aos 35 minutos, Danilo cobrou o escanteio da esquerda, Durval escorou da entrada da área para o meio, a bola sobrou no pé de Diego Souza livre, ele virou batendo e Prass fez um novo milagre, a bola sobrou no rebote para o jogador do Sport que chegou batendo, mas Rafael Marques e Fernando Prass se jogaram na frente da bola e conseguiram salvar o gol de empate. Em novo escanteio de Danilo, Arouca conseguiu cabecear antes de Diego Souza e a bola foi pra fora. O tempo passava, mas a pressão não tinha fim. O Verdão se segurava como dava, mas não conseguia sair para o jogo.

19652385671_79b66ae3a1_o
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Fernando Prass fez diversos milagres durante a partida. (Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Até que aos 43, Arouca saiu pela esquerda e encontrou Leandro Pereira no meio campo; ele dominou e viu João Pedro passando pelas costas da zaga na esquerda. O atacante deu uma grande enfiada de bola e João Pedro dominou sozinho, ele carregou a bola e na entrada da área teve a chance de definir na saída de Danilo. O lateral, porém, não teve confiança para o chute e preferiu tentar driblar o goleiro, que conseguiu se recuperar e deu o bote em seus pés. João Pedro ainda conseguiu cruzar pra Leandro Pereira, mas a cabeçada explodiu na zaga do Sport e no rebote, Kelvin isolou. Era a chance de matar a partida e trazer os 3 pontos na bagagem. E aí o velho clichê do futebol entrou em campo mais uma vez: quem não faz, toma. Depois de segurar praticamente 30 minutos de pressão do adversário, o  Verdão cedeu aos 45 minutos. Leandro Almeida afastou de cabeça para a intermediária, mas a bola sobrou no pé de Régis; ele colocou nas costas da zaga palmeirense para André, aí o atacante virou fuzilando na saída de Prass, que não pode fazer nada. Empate do Sport. Castigo para o Palmeiras. Após o empate, quase o Sport virou, as Prass fez a defesa. O Palmeiras teve uma chance com chute de Gabriel, mas Danilo defendeu. A partida acabou com o empate em Recife.

O gosto para o torcedor do Palmeiras e para o time, ficou muito amargo. Levar um empate aos 45 minutos de jogo, independente de como a partida caminhou, é muito doloroso. Principalmente quando o empate vem, após uma chance clara de consolidar a vitória ser desperdiçada. Dói muito. Com a vitória, encaixaríamos o nosso quinto triunfo seguido. Bater o Sport lá nos traria aqueles três pontos que falamos aqui, que precisaríamos recuperar após os vacilos iniciais. Seriam três pontos que estavam fora do planejamento e compensariam outros que deixamos de ganhar no começo do campeonato.

Analisando friamente as circunstâncias do jogo, o resultado foi o mais justo pela maneira como a partida se desenhou e pelas chances criadas por ambos. O Verdão jogou como uma equipe forte que luta pelo G-4, fora de seus domínios, contra um dos melhores mandantes do campeonato. Mas recuou muito depois do gol da virada e chamou o adversário para o seu campo. Se tivesse aproveitado melhor os contra-ataques, teria conseguido o triunfo. O Sport tem uma boa equipe e mostrou porque está brigando lá em cima. Teve muitas chances, mas pegou pela frente Fernando Prass em uma noite de Santo milagreiro. Conseguiu o gol de empate por méritos e pela insistência pelo resultado.

Olhando a tabela, o empate não foi bom para ninguém, já que todos os concorrentes na briga pelo topo venceram as suas partidas. Mas pelo grau de dificuldade foi bom para o Verdão, que mantém a boa sequencia e a invencibilidade. O Sport mantém-se invicto jogando em casa, mas vai para o terceiro jogo sem vitória. Agora estamos na 7ª posição, com 22 pontos, a apenas 4 pontos do Grêmio, o primeiro do G-4. Para o líder Atlético-Mg a distância aumentou para 7 pontos.

No próximo jogo, teremos a volta de nossos titulares na zaga (Vitor Hugo pode ser dúvida) e talvez Robinho, Alecsandro e Lucas Barrios estejam à disposição de Marcelo Oliveira. Força total em casa para o clássico contra o Santos. Certamente com casa cheia. No meio da semana uma pausa no Campeonato Brasileiro, para o jogo de volta contra o ASA, que foi trazido para o Estádio do Café, em Londrina, reduto Alviverde. Vamos vencer essa partida, para aí voltarmos o foco totalmente para o clássico. Os ingressos já começaram a ser vendidos para os sócios-torcedores Avanti.

Vamos brigar por esse Brasileiro!
E vamos encher o nosso Allianz Parque, torcida Palestrina!

Saudações Alviverdes!

FICHA TÉCNICA
SPORT 2 x 2 PALMEIRAS

Local: Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata-PE
Data: 12 de julho de 2015, domingo
Horário: 18h30 (horário de Brasília)
Público: 35.163 torcedores
Renda: R$ 1.084.320,00
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (MG)
Assistentes: Márcio Eustáquio Santiago (MG) e Guilherme Dias Camilo (Fifa-MG)
Cartões amarelos: Renê e Marlone (SPO); Jackson (PAL)

GOLS

Sport: Matheus Ferraz, aos 22 minutos do primeiro tempo; André, aos 44 minutos do segundo tempo
PALMEIRAS: Leandro Pereira, aos 44 minutos do primeiro tempo e aos 14 minutos do segundo tempo

Sport: Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Durval e Renê (Danilo); Rodrigo Mancha, Wendel (Régis), Neto Moura (Samuel), Diego Souza e Marlone; André Técnico: Eduardo Baptista
PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Jackson, Leandro Almeida e João Paulo (João Pedro); Gabriel, Arouca, Rafael Marques, Zé Roberto (Andrei Girotto) e Dudu (Kelvin); Leandro Pereira Técnico: Marcelo Oliveira

Veja mais

Compartilhe Este Post