Jesus classifica 2015 como ‘excelente’ e elogia torcida: ‘Fez a diferença’

Xodó da torcida palestrina, o jogador foi eleito a revelação do Campeonato Brasileiro pela CBF e pelo Troféu Mesa Redonda

Leve para sua casa uma parte da história do Palmeiras.
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Leve para sua casa uma parte da história do Palmeiras.

Campeão da Copa do Brasil, o atacante Gabriel Jesus terminou a temporada em alta.

“Foi uma temporada em que me firmei no profissional. Trabalhei muito e pude me manter. Posso classificar esse ano para mim como excelente. Infelizmente, deixei escapar dois títulos (do Paulista e do Campeonato Brasileiro), mas Deus honrou, levamos o da Copa do Brasil e pude terminar o ano muito bem”, disse Jesus, que soma 37 partidas e sete gols pelo clube.

O atacante valorizou o papel da torcida alviverde, dona de uma das melhores médias de público da temporada.

“Não tenho nem palavras para descrever a torcida do Palmeiras. É impressionante o que eles fazem e a festa que eles dão em todos os jogos. Mesmo com o time em uma situação não tão boa, eles lotam a nossa arena e nos apoiam. Isso conta muito e fez a diferença”, expôs.

Destaque das categorias de base do clube, Gabriel Jesus foi campeão com o Verdão logo em seu primeiro ano como profissional. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Destaque das categorias de base do clube, Gabriel Jesus foi campeão com o Verdão logo em seu primeiro ano como profissional. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

Antes da Copa Libertadores de 2016, o Verdão disputará um quadrangular no Uruguai. No dia 20 de janeiro, o confronto será com o Libertad-PAR. Caso vença, o Palmeiras enfrentará três dias depois o vencedor do duelo entre Nacional-URU e Peñarol-URU. A iniciativa foi elogiada pelo craque.

“O torneio no Uruguai será uma chance de sentirmos o clima da Libertadores antes, pois enfrentaremos times fortes e de tradição”.

Ainda sobre a competição sul-americana, a primeira da carreira do atleta, uma curiosidade: ele não poderá usar o número 33, pois o limite do certame é até o 30.

“Eu quero é jogar. Eu amei o número 33, infelizmente não vou poder usar na Libertadores, mas ficarei feliz com qualquer número que for me dado”, finalizou.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post