Ambev cobra do Allianz Parque contrato assinado em 1920

Ambev aciona o Allianz Parque por descumprimento de contrato, firmado pela empresa com o Palmeiras em 1920, em antiga escritura do terreno

Leve para sua casa uma parte da história do Palmeiras.
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Leve para sua casa uma parte da história do Palmeiras.

Em coluna do jornal Folha de São Paulo desta sexta-feira (21), a jornalista Mônica Bergamo informou que a Ambev (detentora da Antarctica) acionou o Allianz Parque questionando o descumprimento do contrato firmado com a Sociedade Esportiva Palmeiras em 1920.

Segundo a coluna, a empresa de bebidas afirma que a venda dos naming rights do estádio do Palmeiras não respeita a obrigação de “indicar em todos os reclames e anúncios que o estádio está situado junto ao Parque Antarctica“. Além disto, a parceria com a Itaipava, que hoje detém exclusividade da venda de cerveja na arena, também estaria descumprindo o acordo.

De acordo com o Palmeiras, em 1920, contando com o apoio da Companhia Matarazzo, o Palestra Itália efetuou a compra do campo de futebol e de grande parte do terreno do Parque Antarctica pelo valor total de 500 contos de réis, na época uma fortuna. No dia 27 de abril de 1920, o contrato entre as partes foi firmado. Na escritura de compra, as condições de favorecimento aos empregados e ao comércio dos produtos Antarctica eram explícitas: A exclusividade duraria 99 anos: desde a fundação do Parque, 1904, até 2003, só produtos daquela fábrica poderiam ser vendidos.

Cópia original da Escritura de Venda e Compra do Estádio Palestra Itália. (Fernando Gallupo/Blog Fernando Gallupo/Reprodução)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Cópia original da Escritura de Venda e Compra do Estádio Palestra Itália. (Fernando Gallupo/Blog Fernando Gallupo/Reprodução)

O contrato tem clausulas impossíveis de serem cumpridas atualmente, uma vez que o Parque Antarctica, que contava com espaço de 300 mil metros quadrados (incluindo a área comprada pelo Palmeiras), já não existe.

A WTorre afirma não ver qualquer fundamento jurídico na notificação enviada pela Ambev. Em seu posicionamento, a construtora diz não entender o que levou a cervejaria a comprar briga com uma torcida de mais de 16 milhões de consumidores palmeirenses que abraçou e se orgulha do nome Allianz Parque.

Vale lembrar que durante a reforma do estádio surgiram informações de que a Ambev não teria interesse em adquirir os naming rights da arena palmeirense, por não pretender vincular uma marca com um único clube e também porque a marca da cervejaria associada com o futebol seria a Brahma, já parceira de diversos clubes com o projeto Por um Futebol Melhor.

Entrada do Parque Antarctica em 1921. (Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Entrada do Parque Antarctica em 1921. (Divulgação)

Atualização: Em contato com assessoria de imprensa da Ambev, recebemos a informação de que a empresa não comenta o assunto.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post