M. Oliveira avalia atuação do Palmeiras: ‘Eu esperava mais’

Jogando no Allianz Parque, palco da final da Copa do Brasil de 2015, o time palestrino, desta vez, não conseguiu sair do empate com o rival santista

Leve para sua casa uma parte da história do Palmeiras.
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Leve para sua casa uma parte da história do Palmeiras.

Neste sábado (20), Palmeiras e Santos se reencontraram pela primeira vez após a grande decisão do torneio nacional, que terminou com o título do Verdão. Minutos após o término do clássico, o técnico Marcelo Oliveira comentou sobre o resultado sem gols dentro da casa alviverde.

“Eu esperava mais, naturalmente ganhar o jogo e fazer um jogo forte aqui, de marcação e saída de bola também. Nos primeiros 30 minutos, nós estávamos indo muito bem e chegando, embora não tivéssemos a última jogada clara. Fizemos alguns bons cruzamentos, mas que não foram aproveitados. E o Santos, no final do segundo tempo, aproveitou muito dos nossos erros. Nós pecávamos na hora final da jogada. O Prass foi muito importante, e é importante ter um bom goleiro para isso (ajudar o time)”, declarou.

O comandante também opinou sobre a formação com Thiago Santos, Matheus Sales e Jean no meio de campo, utilizada pela primeira vez no duelo deste final de semana.

“Eu gostei, o Sales e o Jean, quando estão com a bola, possuem a liberdade de sair jogando, e têm poder de marcação. Mas não foi o suficiente para criarmos tanto e ter oportunidades. Com isso, o Robinho e o Dudu ficam mais soltos, e outra questão é que no outro sistema não estávamos atacando frequentemente e dávamos espaços para marcar. Hoje, os espaços foram muito mais pelos nossos erros do que pela qualidade do adversário”, falou o treinador.

Debaixo de muita chuva, M. Oliveira comandou Verdão no primeiro clássico do ano. (Cesar Greco/Ag.Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Debaixo de muita chuva, M. Oliveira comandou Verdão no primeiro clássico do ano. (Cesar Greco/Ag.Palmeiras/Divulgação)

Oliveira, porém, mantém a confiança em alta com o futuro da equipe.

“É um grupo de boa qualidade, não tenho queixas com a entrega e o comprometimento, mas ainda não conseguimos encaixar um time. Às vezes isso acontece rapidamente, outras vezes demora um pouco mais. No futebol atual, você precisa marcar, senão você perde. A nossa base é o ambiente e o trabalho, e, enquanto isso estiver firme e o jogador estiver competindo como competiu hoje, teremos um horizonte a explorar”, completou.

O Palmeiras volta a campo na próxima quinta-feira (25), às 21h30, para enfrentar o XV de Piracicaba, em mais um confronto válido pelo Campeonato Paulista. Já no dia 28 de fevereiro (domingo), às 17h, será a vez de receber a Ferroviária, no Allianz Parque, também pelo Regional.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post