Ídolo, Dudu é eternizado com busto e se emociona: ‘Eu balancei’

Raça, disposição e determinação. Essas são as qualidades que fizeram de Olegário Tolói de Oliveira, ou simplesmente Dudu, um dos principais nomes da história do Palmeiras

Multicampeão pelo Alviverde e peça fundamental na época das Academias, o ex-jogador agora está eternizado no clube social do Verdão com um busto, bem ao lado de outros cinco homenageados: Junqueira, Waldemar Fiúme, Ademir da Guia, Oberdan Cattani e Marcos.

O evento de inauguração da peça, que aconteceu na tarde desta segunda-feira (07), data do aniversário do eterno camisa 5, contou a presença do presidente Paulo Nobre e os seus vices Maurício Galiotte e Antonino Jesse Ribeiro, dos ex-atletas Ademir da Guia, Edu Bala e Sérgio, e de convidados e familiares de Dudu.

“Eu estou mais bonito aqui (no busto) do que pessoalmente (risos). Não tenho palavras para agradecer o que a diretoria do Palmeiras está fazendo por mim e também pela presença dos amigos, parentes e ex-atletas companheiros meus. É uma alegria muito grande a que estou sentindo dentro de mim, realmente hoje eu balancei. É difícil eu balançar, mas hoje eu estou bastante emocionado. Eu estou contente com tudo isso”, afirmou o ídolo, que foi reverenciado com muito carinho pelo presidente Paulo Nobre.

“Com o Ademir da Guia, talvez ele tenha feito uma das maiores duplas do futebol mundial de todos os tempos. É uma honra muito grande para mim, como presidente que hoje estou, homenagear um jogador que eu não tive a honra de ver jogar. A história do Dudu tinha de estar eternizada no Palmeiras por tudo o que ele fez, e eu queria agradecer muito tudo o que o Dudu se dedicou a este clube que amamos tanto”, falou o mandatário, durante a inauguração do busto.

Nascido em Araraquara, no interior de São Paulo, Dudu chegou ao Palmeiras em 1964, após se destacar pela Ferroviária-SP. O ex-volante não só se tornaria capitão da equipe como seria um dos protagonistas da Primeira e da Segunda Academia, alcunha dada ao Verdão, nas décadas de 60 e 70, respectivamente, por conta do futebol vistoso apresentado pelos palmeirenses dentro das quatro linhas.

“Não fomos só eu e o Ademir que fizemos parte do Palmeiras. Nós chegamos mais cedo e ficamos mais tempo no Palmeiras. Eu joguei 12 anos, e o Ademir 15. O Palmeiras teve grandes jogadores. Nós fomos campeões algumas vezes, depois tivemos um período de altos e baixos. O (Oswaldo) Brandão chegou e montou-se a Segunda Academia. Tivemos vários campeonatos seguidos, a Segunda Academia foi a que ganhou mais títulos”, relembrou o homenageado.

Em sua passagem como atleta pelo clube, o ídolo conquistou nove títulos (entre eles, cinco Campeonatos Brasileiros), disputou 609 partidas e marcou 25 gols. Em 1976, após encerrar a carreira como jogador, Dudu assumiu o comando técnico do time e conquistou a taça do Campeonato Paulista do mesmo ano.

Dudu é o sexto jogador a receber um busto no clube social do Verdão. (Fabio Menotti/Ag.Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Dudu é o sexto jogador a receber um busto no clube social do Verdão. (Fabio Menotti/Ag.Palmeiras/Divulgação)

>Ficha técnica: Dudu
Nome: Olegário Tolói de Oliveira
Nascimento: 07/11/1939
Naturalidade: Araraquara-SP
Período: 1964 a 1976
Posição: Volante
Jogos: 609 (340 vitórias, 160 empates e 109 derrotas)
Gols: 25

>Dados históricos
Estreia: Palmeiras 1×2 Santos (11/04/1964)
Primeiro gol: Palmeiras 2×5 São Paulo (15/11/1964)
Último gol: Palmeiras 4×1 Corinthians (15/12/1974)
Último jogo: Palmeiras 3×3 Portuguesa (24/01/1976)
Principais títulos: Torneio Rio-São Paulo (1965), Campeonato Paulista (1966, 1972 e 1974), Campeonato Brasileiro (1967 – Torneio Roberto Gomes Pedrosa e Taça Brasil –, 1969, 1972 e 1973)

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post