Apesar de ano ‘inesquecível’, Moisés avisa: ‘Nosso grupo quer muito mais’

Além do título do Campeonato Brasileiro, Moisés foi eleito melhor meia em três prêmios: no Troféu Mesa Redonda, no Bola de Prata da ESPN e no da CBF

O ano de 2016 terminou perfeito para o camisa 28 alviverde. Para o atleta, essa temporada nunca sairá de sua memória.

“Foi, sem dúvidas, um ano inesquecível para a minha carreira. Apesar da lesão no pé logo no começo, eu me dediquei para estar pronto para o início do Brasileiro, emplaquei uma sequência positiva e acabamos campeões. Além disso, consegui títulos individuais que sempre sonhei. Estou feliz demais”, afirmou.

Por falar no problema no pé, Moisés retirou os pinos que estavam incomodando na quarta-feira (14), já recebeu alta médica e a expectativa é de que inicie a pré-temporada de 2017 normalmente.

“Foi um procedimento simples. Era algo que estava me causando um desconforto. Tenho certeza de que a cicatrização será ótima e que vou começar a temporada seguinte 100%”, disse.

Contratado junto ao HNK Rijeka, da Croácia, o jogador de 28 anos relembrou a ligação que recebeu da direção do clube antes de assinar contrato.

“O Alexandre Mattos me ligou e me perguntou se eu estava pronto para ser campeão. Respondi na hora que sim, já dava para ver que o projeto do Palmeiras era para brigar por títulos importantes. E deu tudo certo”.

Um dos xodós da torcida palestrina, o mineiro Moisés acredita em um 2017 ainda melhor.

“Nosso grupo é fechado, está cada vez mais cascudo e gosta de vencer. Tenho certeza de que estaremos ainda mais fortes no ano que vem. Queremos muito mais. A pré-temporada será feita na Academia de Futebol, o centro de excelência é de primeiro mundo e isso nos ajudará muito”, projetou.

Um dos xodós da torcida palestrina, Moisés acredita em um 2017 ainda melhor. (Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Um dos xodós da torcida palestrina, Moisés acredita em um 2017 ainda melhor. (Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

A arma do lateral

Além da classe e da inteligência com a bola nos pés, o meia se destacou também com as mãos, cobrando laterais em longa distância para a área. Gols importantes da caminhada vencedora saíram de sua ‘nova’ capacidade.

“Tem muito o mérito do Cuca, que descobriu isso em um treino. O futebol mudou e qualquer arma vale para conquistar uma vitória. Fico feliz de ajudar de qualquer forma. Fomos campeões com 80 pontos, fomos os melhores em quase tudo, foi um título incontestável”, finalizou.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post