Baptista garante muito trabalho por definição de vagas: ‘Temos o esqueleto’

Com um elenco ainda mais qualificado do que a temporada passada, o novo treinador palestrino terá uma missão complicada logo de cara: selecionar 11 titulares

Liderado por Cuca, o Palmeiras levou o título do Campeonato Brasileiro de 2016 com atuações seguras e aprovação total da torcida alviverde. Entretanto, mesmo com o ótimo trabalho desempenhado no clube, o então treinador deixou o Verdão por questões pessoais, abrindo o caminho para a chegada de Eduardo Baptista. A situação, porém, não é vista como um “problema” pelo comandante.

“Você tem de ser justo e, para isso, há muito trabalho. O treino é às 9h30 e nós chegamos aqui às 7h30. Chegamos, conversamos, tudo junto com a comissão técnica. Acaba o jogo (no treino) e vamos para dentro (da sala), os jogos são filmados e nós observamos o máximo para ser justo. Temos de ser o mais justo possível. Teremos erros e acertos, mas o importante é que o atleta veja que teremos senso de justiça”, comentou o palmeirense, que já tem em mente uma provável escalação para a estreia no Paulistão, que acontecerá no domingo (05), às 17h, contra o Botafogo, no Allianz Parque.

“Temos o esqueleto, a espinha dorsal. Estamos observando algumas posições, mas outras estão bem definidas. Não quer dizer que serão definidas durante toda a competição, mas estamos olhando com mais carinho. Algumas posições vêm de uma resposta boa desde o ano passado, e outras podem variar pela característica do jogo. Mas temos ideia do que será o jogo”, contou.
Eduardo Baptista concedeu entrevista coletiva na Academia de Futebol nesta sexta-feira (27). (Cesar Greco/Ag.Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Eduardo Baptista concedeu entrevista coletiva na Academia de Futebol nesta sexta-feira (27). (Cesar Greco/Ag.Palmeiras/Divulgação)

Antes do início do Regional, contudo, Baptista terá um último teste para definir os seus 11 preferidos. No próximo domingo (29), às 17h, Palmeiras e Ponte Preta realizam um amistoso, dentro da arena alviverde (Clique aqui e garanta o seu ingresso antecipadamente!).

“Este jogo contra a Ponte marca o fim da nossa pré-temporada. Traçamos um planejamento no qual conseguimos fazer quase 100% dele, conseguimos fazer tudo graças à colaboração dos atletas. Essa decisão ainda é para semana que vem (goleiro titular do Palmeiras). Deve jogar o Prass contra a Ponte, mas a decisão vai para a semana que vem, assim como a equipe titular. Quem jogar domingo não quer dizer que está garantido contra o Botafogo”, expôs.

Ponte Preta, inclusive, que foi o último clube de Eduardo Baptista antes de aceitar o convite para trabalhar no Verdão.

“É gostoso, um jogo amistoso com peso importante para as duas equipes. Este time da Ponte foi a base que trabalhou com a gente, deixamos um trabalho lá. Fico feliz, a minha família nasceu dentro da Ponte. Agora quero ganhar da Ponte Preta aqui no Palmeiras”, afirmou o técnico, reforçando qual deve ser a identidade da equipe palestrina em 2017.

“É egoísta falar que terá a cara do Eduardo Baptista, tem de ter a cara do Palmeiras. Um time sem a bola totalmente agressivo, no bom sentido, com marcação forte, não deixando o adversário pensar. Com a bola, uma equipe valente, ousada, que jogue, crie chances e faça gols. Não é a cara do Eduardo Baptista, é a cara do Palmeiras”, explicou.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post