Baptista mira duelo com Chape e elogia início de trabalho no Verdão

Apesar do pouco tempo de trabalho, o técnico Eduardo Baptista já se sente em casa dentro do Palmeiras.

Substituto do campeão brasileiro Cuca e com um elenco valioso nas mãos, o comandante mostra-se satisfeito com o interesse mútuo entre comissão técnica e jogadores para ver um Verdão ainda melhor em 2017, já que será uma temporada com competições importantes a serem disputadas, a começar pelo Campeonato Paulista e pela Copa Libertadores.

“Eu estou muito feliz e à vontade, tanto pelo estafe que tem aqui quanto pelos jogadores. Fui muito bem recebido. Todos os treinamentos são filmados, e a gente passa alguns links para os jogadores verem em casa, é uma liçãozinha de casa. A resposta tem sido boa. Isso gera muita conversa, muito questionamento, muita colocação da parte técnica. São só dez dias, mas já conseguimos coisas boas. Espero fazer ainda mais com a ajuda deles e começar bem o Paulista. O grupo é muito bom, trabalha em alta intensidade e, por isso, foi campeão”, declarou o comandante, que vê muita qualidade no grupo palestrino.

“Hoje você pode montar até dois times competitivos aqui. É um grupo muito qualificado, com uma competição interna sadia. Tem jogadores que ainda precisam ser liberados pelo departamento físico, outros que estão prontos e sendo observados. Não definiremos nada agora, é momento de observar. Tivemos jogo-treino, temos amistoso amanhã, teremos outro jogo-treino na quinta e depois amistoso com a Ponte. Aí, sim, podemos definir a equipe da estreia, mas não quer dizer que será a equipe titular”, explicou.

Neste sábado (21), às 16h30, Baptista terá a oportunidade de fazer o seu primeiro teste com o time alviverde. O Verdão enfrentará a Chapecoense, na Arena Condá, em Chapecó-SC, em um amistoso que promete emocionar os amantes do futebol espalhados pelo mundo, já que o objetivo do duelo é arrecadar fundos para ajudar a equipe catarinense em sua reconstrução após o acidente aéreo ocorrido no fim de 2016. O treinador, no entanto, quer sair vencedor do embate.

“Eu entro para ganhar. As homenagens serão feitas antes da partida, mas depois é jogo. A Chapecoense foi muito feliz na montagem de seu elenco, conseguiu peças importantes. Tem três atletas que jogaram comigo na Ponte Preta, Reinaldo, Wellington Paulista e Grolli. É um time que você não pode desprezar. Mas, como eu disse, é jogo. Brigaremos para ganhar, lógico que com lealdade e respeito como sempre foi”, afirmou, dando dicas de qual será a formação inicial do Alviverde.

“O time que inicia amanhã treinou ontem (quinta), com Alecsandro e Veiga. Decidimos dar um tempo maior para o Michel (Bastos). Fez bom trabalho contra a Barbarense, mas em comum acordo achamos que seria melhor ele ficar. A diferença entre Michel e Veiga é pequena. Os dois têm criatividade, são rápidos, sabem variar por dentro e pelo lado, têm bom passe e entrada na área. O Veiga está melhor fisicamente”, contou.

Eduardo Baptista entrevista coletiva nesta sexta-feira (20). (Fabio Menotti/Ag Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Eduardo Baptista entrevista coletiva nesta sexta-feira (20). (Fabio Menotti/Ag Palmeiras/Divulgação)

Eduardo Baptista revelou até que pretende dar chances a todos palmeirenses relacionados no confronto frente à Chape.

“A ideia é botar um time em cada tempo, com exceção dos dois zagueiros. O Vitor (Hugo) e o Edu (Dracena) precisam de um trabalho maior na parte física. O Antônio Carlos e o Thiago Martins vão até onde puderem ir. Estou levando o Vitão, da base, e o Thiago Santos pode fazer para mim essa função se precisar”, disse o técnico.

Por fim, o treinador elogiou a convocação de Dudu e Vitor Hugo, que representarão o Brasil no embate contra a Colômbia, na quarta (25), às 21h45, no estádio Engenhão, no Rio de Janeiro, em mais uma iniciativa para contribuir com a Chapecoense neste início de ano.

“Dudu e Vitor fizeram um grande Brasileiro. Talvez tivessem mais dois ou três capazes de serem convocados, mas é um leque muito grande. Os dois convocados servem de exemplo para os que estão aqui. O Tite é um cara muito aberto, que está assistindo a tudo. Os que não foram têm de saber que se trabalharem serão chamados também”, avisou o palmeirense, que, inclusive, confirmou o camisa 7 como capitão do Palmeiras em 2017.

“Eu vou seguir o que o Cuca fez. O capitão é o Dudu. Não quer dizer que o Prass e o Dracena não possam ser líderes. Achei que essa braçadeira fez bem para o Dudu e bem para a equipe em um momento importante do Brasileiro. Nada mais justo do que continuar. O Prass segue sendo líder, o Zé, dentro do nosso vestiário o Rafael (Marques) é um cara muito positivo, o próprio Tchê Tchê. Todos podem ser líderes, mas o Dudu segue como acabou ano passado”, completou.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post