Prass garante trabalho por vaga no gol: ‘Passado não garante ninguém’

Grande destaque do Palmeiras no fim de 2015, o goleiro Fernando Prass não conseguiu terminar a temporada passada da mesma maneira

Lesionado no segundo semestre, o arqueiro não só desfalcou o Palmeiras como também perdeu a oportunidade de disputar os Jogos Olímpicos do Rio Janeiro junto com a Seleção Brasileira, fato que seria inédito para o jogador de 38 anos. Agora, totalmente recuperado, o camisa 1 volta ao Verdão com muita vontade de retomar as ótimas atuações com o manto palestrino.

“Você fala que ficou machucado e parece que eu fiquei quatro meses em casa com a família, mas muito pelo contrário. Eu treinava aqui em dois períodos, até quando o pessoal folgava. A gente fica ansioso para voltar, até porque são mais de 20 anos nesta rotina. Quero voltar para o campo e sentir que estou bem, sem nenhuma dor, e pronto para jogar em alto nível, assim como foi nos outros anos”, comentou.

Prass, inclusive, realizou atividades no período de férias para chegar 100% em 2017.

“Fiz um trabalho todo programado pela comissão técnica para eu voltar bem fisicamente. A minha motivação nas férias era voltar e botar na minha cabeça que eu farei o meu melhor ano, assim como 2015. Confio nisso, no trabalho e tenho certeza de que as coisas darão certo”, declarou o palmeirense, destacando os dias de trabalho com o técnico Eduardo Baptista.

O goleiro Fernando Prass concedeu entrevista coletiva na Academia de Futebol após o treino desta terça-feira (24). (Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

O goleiro Fernando Prass concedeu entrevista coletiva na Academia de Futebol após o treino desta terça-feira (24). (Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

“O meu objetivo é poder trabalhar ao máximo, sem dor nenhuma. Fiquei praticamente cinco meses e meio sem treinar normalmente e seis sem jogar. Agora estou treinando normalmente, sem limitação, e tenho de readquirir o que todos perdem após as férias. Este tempo, apesar de curto ainda, não fechou nem duas semanas de treinamentos, tem nos dado uma resposta bem positiva”, avaliou.

Fora de campo, Prass acompanhou o sucesso do amigo Jailson frente à meta do Palmeiras. Com defesas importantes e mostrando muita segurança, o então reserva conquistou a confiança do elenco e de todos os torcedores do clube, tanto que foi campeão do Campeonato Brasileiro sem ao menos perder uma partida – foram 19 jogos de invencibilidade. Ciente da forte concorrência, o camisa 1 vê com bons olhos a “briga” pela titularidade no Verdão.

“Sempre houve disputa desde que eu cheguei ao Palmeiras, nunca vi um goleiro como titular absoluto. É difícil ter um como o Marcos, que era titular absoluto. Cheguei em 2013, e este será mais um ano que lutaremos para que, quem estiver melhor, jogar”, declarou. “O futebol não surpreende em nada. Creio que o Eduardo Baptista não deu condição de titular para ninguém, temos de trabalhar. Desde que cheguei ao Palmeiras, sempre tive concorrência. Se eu joguei, foi por merecimento. E, se eu jogar, será por merecimento também”, completou.

Mesmo que tenha sido decisivo durante toda a sua trajetória no gol alviverde, o arqueiro reconhece que terá de suar bastante na disputa com Jailson.

“O passado não garante ninguém, o que aconteceu na semana passada, no ano passado, não garante ninguém. O que garante é o dia a dia, o treino e o desempenho. O correto no futebol é isso”, finalizou Fernando Prass.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post