Moisés não esconde ansiedade pela estreia em 2017: ‘Está grande’

Após efetuar trabalho especializado durante toda a pré-temporada, o meia Moisés pode, enfim, estrear em 2017, diante da equipe do ABC Paulista

Às vésperas do duelo contra o São Bernardo, o meio-campo alviverde conta com boas notícias. Em entrevista coletiva na Academia de Futebol nesta terça (15), o camisa 10 não escondeu a ansiedade com a possibilidade do primeiro jogo.

“A ansiedade está grande. Não gosto de ficar fora, e minhas férias eu tive de ter um repouso maior. Gosto de treinar nas férias e voltar inteiro, mas este ano não foi possível. Vivo a ansiedade de voltar, e, fora de campo, é gostoso estar com os companheiros, ajudar de uma forma ou outra, presenciar os momentos bons e ruins. Espero voltar bem”, falou.

Novo camisa 10 da equipe, o meia foi fundamental na campanha do time campeão brasileiro em 2016. Para Moisés, a importância não está no número na camisa, e sim na evolução do trabalho nesta temporada.

“Procuro não pensar nisso. Todos falam, mas a partir do momento que entro no vestiário, só penso em meu trabalho. Quero honrar a camisa do Palmeiras, independentemente do número”, lembrou.

Além de elogiar Eduardo Batista, Moisés pediu paciência para o torcedor e se mostrou confiante no sucesso da nova filosofia de trabalho implantada pelo treinador.

“Temos ciência de que o time ainda não jogou o que se espera, mas é natural de começo de ano, com treinador novo… não é tão simples, mas o trabalho do Eduardo vocês veem que é bom. Falamos com ele e estamos juntos. Ele é um cara dinâmico, bacana, honesto e sabemos que a qualquer momento o time vai engrenar. Esperamos que seja no próximo jogo. Se a gente não conseguir jogar o futebol que se espera, que a torcida tenha paciência, pois logo vamos acertar o time”, disse.

Moisés tem 39 partidas e quatro gols pelo Verdão. (Fabio Menotti/Ag. Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Moisés tem 39 partidas e quatro gols pelo Verdão. (Fabio Menotti/Ag. Palmeiras/Divulgação)

Em relação à briga pelas vagas no meio-campo por parte dos reforços, Moisés vê uma disputa sadia entre os atletas e destaca a qualidade dos “dois times” do Palmeiras.

“É importante a concorrência e todos procurarem seu espaço. Você vê que outros jogadores estão bem, e isso te força a melhorar. A qualidade dos times titular e reserva é muito grande, e isto acaba nos colocando em circunstâncias que um adversário não vai proporcionar. É dar tempo ao tempo que as coisas caminhem da melhor forma possível”, analisou o camisa 10.

Por fim, o meia palmeirense relembrou a expectativa de convocação para o Jogo da Amizade, realizado no último mês de janeiro, mas mostrou plena consciência de que não estava no momento certo de vestir a Amarelinha.

“Cria-se uma expectativa pelo campeonato que se fez. Às vezes você quer ir, mas o momento não era ideal, porque não estava 100%. Criou expectativa também pelo Tchê Tchê, mas não se sabe o que passa pela cabeça do Tite. Ele é bem honesto e tem suas escolhas. Vamos trabalhar para ser lembrados numa próxima vez”, finalizou Moisés.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post