Prass relembra atuação impecável e admite sonho por Seleção

Com grandes defesas e atuação impecável, o goleiro Fernando Prass foi decisivo para o Verdão conquistar o seu sétimo triunfo pelo Campeonato Paulista

A vitória histórica por 2 a 1 diante do Santos, no domingo (19), na Vila Belmiro, teve um grande personagem pelo lado palmeirense. O camisa 1, por sua vez, classifica a jornada contra os santistas como uma das melhores de sua carreira.

“Tenho alguns jogos que me marcaram muito aqui no Palmeiras, mas sem dúvidas este está entre os melhores, até pelo resultado. Está entre os meus grandes jogos no Palmeiras”, declarou. “Foi uma partida diferente do que a gente vinha encontrando durante o ano. Jogos de uma ou duas bolas sempre são mais complicados para o goleiro, e estava sendo assim, tirando o jogo contra a Ferroviária. O nível de concentração tem de ser muito grande. Este jogo contra o Santos foi muito atípico, fui muito mais exigido, mas mesmo assim consegui manter a nossa média de gols, afinal estamos tomando pouco gols”, completou.

De acordo com o arqueiro, a sua evidência no confronto se deu justamente pela postura ofensiva do Alviverde no litoral paulista.

“Os jogos na Vila são assim, o Santos tem vocação muito ofensiva e, jogando em casa, ela fica muito mais aflorada. É difícil jogar lá sem sofrer como sofremos. Na final da Copa do Brasil foi parecido, mas criamos muito menos. Agora fizemos um jogo praticamente igual. A partir do momento que você entende que tem de agredir o Santos também, você abrirá espaços. Para o torcedor é melhor de se ver, mas óbvio que eu, como goleiro, prefiro não trabalhar tanto. O Palmeiras foi corajoso e não se encolheu em seu campo, jogou de igual para igual”, avaliou o palestrino, que destacou a evolução do Palmeiras em suas últimas apresentações.

Prass soma 209 jogos pelo Verdão. (Fabio Menotti/Ag. Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Prass soma 209 jogos pelo Verdão. (Fabio Menotti/Ag. Palmeiras/Divulgação)

“Não se cria nada de um dia para o outro, é o começo ainda. São dois meses de treinamento, e a resposta que estamos dando é boa, temos de ter tranquilidade. Do time do ano passado para este, mudou quase 50%, mesmo não tendo muitas contratações. E mudou o comando também, que agora possui várias ideias diferentes. Leva um tempo, mas a gente está atingindo um nível muito bom para um começo de trabalho”, apontou.

Por fim, Prass comentou sobre o sonho de vestir a camisa da Seleção Brasileira, fato que seria inédito em sua trajetória como atleta.

“Tem jogadores que têm uma carreira fenomenal, mas nunca foram para a Seleção. Não digo frustrado, mas fica uma pontinha como se faltasse algo na carreira. Eu também penso em jogar na Seleção, é óbvio. Com relação à idade, eu sempre uso o Zé Roberto como exemplo. Se ele é o melhor lateral do Brasil, ele tem de ser convocado. O futebol é momento, o rendimento no campo dirá se você tem condições ou não, e a idade é o que menos importa. Eu sonharei até o dia em que deixarei de jogar”, admitiu o goleiro.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post