Zé Roberto prega respeito antes da estreia: ‘Camisa não ganha jogo’

A estreia do Palmeiras na Conmebol Libertadores Bridgestone é aguardada com ansiedade pelos seus torcedores e até pelos próprios jogadores do clube

Com o objetivo de se sagrar bicampeão do torneio, o Verdão inicia a sua caminhada contra o Atlético Tucumán-ARG, nesta quarta-feira (08), às 21h45, na Argentina. E o tão falado ‘clima de Libertadores’ é esperado pelos palestrinos neste duelo inaugural da competição, já que o rival tem todas as características que o Alviverde deve encontrar ao longo da competição.

“Em casa, eles têm o apoio de seus torcedores, é um estádio em que os torcedores ficam quase dentro do campo. É um campo com atmosfera favorável para a equipe deles, no sentido de apoio. Mas são situações que o Palmeiras já conhece. Acredito que aprendemos muito com a Libertadores do ano passado. Neste ano, estamos muito mais preparados. Temos de saber lidar com essas dificuldades do início do jogo. A melhor forma é marcar bem e sair no contra-ataque. A nossa proposta será praticamente esta, fazer uma boa marcação e contra-atacar”, explicou o experiente Zé Roberto.

O palmeirense de 42 anos, inclusive, pede uma equipe ofensiva diante dos argentinos.

“Acho que a melhor receita é se impor no jogo. Sabemos da dificuldade que será jogar aqui. Sabemos da forma em que se encontra a cidade a respeito do time, que está pela primeira vez na Libertadores. Será uma pressão muito grande no início do jogo, e temos de suportá-la. Para você passar por uma situação difícil, você tem de se impor. De qual forma? Não pode só se defender, tem de jogar também. O Palmeiras propõe o jogo, joga e busca os gols. A parte defensiva para este jogo será muito importante. Vimos muitos vídeos deles, estamos cientes da forma como jogam. O Palmeiras veio bem preparado”, contou o jogador, pregando muito respeito ao adversário desta quarta.

“Às vezes você enfrenta um time sem muita tradição, como o do jogo de amanhã, e eles dão a vida. Camisa não ganha jogo. Se não entrar com mentalidade diferente, você é surpreendido. No ano passado, não tivemos essa leitura e fomos surpreendidos por times de menor expressão. Espero que este ano seja diferente, entendendo que a Libertadores é diferente”, completou.

Zé Roberto nega também que o Palmeiras seja o grande favorito a se classificar no Grupo 5 da Copa Libertadores, que ainda conta com Jorge Wilstermann, da Bolívia, e Peñarol, do Uruguai, além do próprio Atlético Tucumán, da Argentina.

“É difícil apontar um favorito no futebol moderno. Temos exemplos. Se olharmos o futebol mundial, antes do jogo da Champions (League) entre Barcelona e PSG, todos apontavam o Barcelona como vencedor, e o PSG ganhou (4 a 0). Não se pode dizer que um é favorito. Claro que cada time tem a sua tradição e o seu nome, mas isso não ganha jogo. Passará quem jogar melhor e estiver mais disposto a buscar a classificação”, afirmou.

Por fim, o atleta comentou sobre a possibilidade de atuar como lateral-esquerdo ou no meio de campo do Verdão.

“Não tenho dificuldade nenhuma em jogar nas duas posições. Quero ajudar o Palmeiras. Agora, se jogarei no meio, na lateral ou se jogarei, não sei (risos). Faremos o último treino hoje (terça-feira) de reconhecimento ao estádio para o nosso treinador colocar a melhor equipe à disposição e fazermos um grande jogo”, finalizou o camisa 11.

Zé Roberto concedeu entrevista coletiva nesta terça (07), em Tucumán. (Cesar Greco/Ag.Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Zé Roberto concedeu entrevista coletiva nesta terça (07), em Tucumán. (Cesar Greco/Ag.Palmeiras/Divulgação)

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post