Com virada espetacular, Palmeiras bate o Peñarol na Libertadores

Em emocionante partida, na noite desta quarta-feira (26), o Palmeiras venceu, de virada, o Peñarol-URU, por 3 a 2

O Verdão entrou em campo no estádio Campeón del Siglo, em Montevidéu, no Uruguai e, de virada, venceu a partida com gols do atacante Willian (duas vezes) e do zagueiro Yerry Mina, em partida válida pela Conmebol Libertadores Bridgestone.

Perto de garantir a classificação às oitavas de final na competição continental, o Verdão lidera o Grupo 5 do torneio com 10 pontos, e volta a campo na próxima quarta-feira (03) para encarar o Jorge Wilstermann-BOL, em Cochabamba, na Bolívia, às 21h45 (de Brasília).

O jogo

Com três zagueiros, o Palmeiras iniciou a partida com uma proposta de jogo cadenciada. Visando surpreender o adversário nos contra-ataques, o time comandado por Eduardo Baptista não conseguiu criar muitas chances no primeiro tempo.

Logo aos 12 minutos de jogo, o atacante Affonso vazou a meta de Fernando Prass, em lance muito duvidoso – os jogadores do Palmeiras pediram falta em Mina. O árbitro paraguaio, Enrique Cáceres, que estava em cima do lance, no entanto, validou o tento dos uruguaios. (Peñarol-URU 1×0 Palmeiras)

Ao longo da primeira etapa, o Alviverde encontrou algumas dificuldades para articular jogadas. O Verdão até investir contra ao adversário com Michel Bastos, que fez belo desarme, mas não obteve êxito na sequência da jogada.

Na sequência, o Peñarol começou, de fato, a pressionar o Palmeiras por alguns minutos, mas o Verdão se equilibrar emocionalmente durante o jogo e, sem se deixar abalar, deu conta do recado. Já o Peñarol, precisando da vitória para se manter vivo na competição, continuou partindo para o tudo ou nada nada.

A partir de então, o jogo passou a ter um ritmo truncado, e o adversário do Verdão chegou até a praticar algumas jogadas mais duras, típicas de Libertadores – em um determinado momento do jogo, apelou: Michel Bastos foi empurrado fora do lance da bola, mas o árbitro, de costas, não percebeu.

O time uruguaio se aproveitou de um Palmeiras um tanto quanto apagado no primeiro tempo e continuou investindo nas jogadas de ataque, até que, aos 35, encontrou o segundo gol após cruzamento de Petrik pela direita. Na sobra, o atacante Arias disparou um petardo e não deu chance para o goleiro alviverde, Prass. (Peñarol 2×0 Palmeiras)

Ainda no primeiro tempo, mais um susto. Fernando Prass foi obrigado a sair no limite da grande área para uma dividida. Para a alegria dos torcedores palmeirenses presentes em Montevidéu, o camisa 1 palestrino ganhou nas duas disputas que precisou realizar. Na sobra, a defesa afastou o perigo.

No segundo tempo, o meia Tchê Tchê e o atacante Willian entraram no lugar do lateral Egíodo e do zagueiro Vítor Hugo, respectivamente, e, nitidamente, a tensão em campo trocou de lado. O Verdão entrou com outra disposição em campo e buscou o resultado fora de casa.

Logo aos 3 minutos do segundo tempo, Willian aproveita sobra de Borja, domina, aplica um chapéu sobre o seu marcador e faz um golaço. O gol marcado pelo atacante foi o tento de número 279 do Verdão em Libertadores, tornando o Palmeiras o clube brasileiro, isolado, com mais gols na competição continental. (Peñarol 2×1 Palmeiras)

Após diminuir a vantagem dos donos da casa, foi o Palmeiras que passou a ditar o ritmo do jogo, articulando as jogadas de ataque e oferecendo perigo à meta uruguaia. Aos 12, por pouco, Róger Guedes não marcou o gol de empate, após ficar cara a cara com o goleiro.

Se por um lado o gol de Guedes não se consumou, por outro, com a chance desperdiçada o time de Eduardo Baptista percebeu que era possível empreender uma reação ante o Peñarol. E a partir de então só deu Palmeiras.

Aos 17, o zagueiro Mina, na área, recebe bola cruzada de Jean e, de cabeça, deixa tudo igual para o Palmeiras.  Curiosamente, o lance que originou o gol havia começado com o próprio colombiano. (Peñarol 2×2 Palmeiras)

Após o gol, o time do Peñarol até tentou esboçar uma reação. Mas era visível que a equipe comandada pelo técnico Leonardo Ramos estava psicologicamente abalada por ter cedido empate dentro de casa, ainda mais precisando do resultado favorável para que o time continuasse vivo na competição.

Não demorou muito, e o Palmeiras decretou a queda do Peñarol da Conmebol Libertadores Bridgestone 2017. Novamente, Willian balançou as redes uruguaias após receber assistência de Jean. (Peñarol 2×3 Palmeiras)

Palmeiras venceu, de virada, o Peñarol-URU, por 3 a 2, em Montevidéu, no Uruguai, na noite desta quarta-feira (26). (Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Palmeiras venceu, de virada, o Peñarol-URU, por 3 a 2, em Montevidéu, no Uruguai, na noite desta quarta-feira (26). (Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Ao apito final, uma confusão generalizada tomou conta do gramado e se estendeu até os vestiários. Foi necessário a intervenção de policiais uruguaios e seguranças do palmeiras para que os ânimos se acalmassem.

Com os dois gols marcados nesta partida, o atacante Willian, que já era o artilheiro do Palmeiras na temporada – agora com oito gols –, passa a ser também o ser o artilheiro do time, isolado, na Conmebol Libertadores Bridgestone, com três tentos.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post