Cuca será apresentado ao meio-dia; veja curiosidades e estatísticas

Oficializado na noite de sexta-feira (05), o técnico Cuca será apresentado nesta terça (09), às 12h, na sala de imprensa da Academia de Futebol

O treino, o primeiro após o seu retorno ao clube, será às 15h30, em atividade aberta aos repórteres. Junto do comandante, chegam também o auxiliar e mais irmão novo, Cuquinha, o auxiliar Eudes Pedro e o observador-técnico Daniel Cerqueira – todos faziam parte do estafe na temporada passada.

Campeão brasileiro em 2016 pelo Verdão, o treinador, que na noite desta segunda-feira (08) assinou contrato até o fim de dezembro de 2018, contabilizou em sua primeira passagem 51 partidas, com 29 vitórias, 11 empates e 11 derrotas. Suspenso, ele foi substituído por Cuquinha, na vitória por 2 a 0 sobre o Fluminense, e por Alberto Valentim, ex-auxiliar fixo, na derrota para o Botafogo por 3 a 1 – ambos os duelos foram válidos pelo torneio nacional.

Título brasileiro

Em 2016, o palmeirense de infância Cuca assumiu o time no dia 17 de março, na derrota para o Nacional-URU por 1 a 0, pela Copa Libertadores. No começo, foram quatro reveses (além do rival uruguaio, o clube foi superado por Audax, Red Bull e Água Santa). A equipe seguiu evoluindo, apesar das eliminações no Paulista e no principal torneio continental, e, no dia 27 de novembro, levantou o seu nono caneco nacional, na vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense, no Allianz Parque.

A conquista, de volta ao Palestra Italia após 22 anos, foi incontestável. O Palmeiras acabou como o melhor ataque (com 62 gols), a defesa menos vazada (32), o maior número de vitórias (24) e o menor número de derrotas (seis). Pela primeira vez na era dos pontos corridos, o campeão não recebeu cartão vermelho ao longo da competição. O Alviverde foi também o melhor visitante (com dez vitórias, quatro empates e cinco resultados negativos).

Além disso, a equipe conseguiu quebrar alguns tabus, como vencer o Sport na Ilha do Retiro (que não ocorria havia sete anos), o Internacional no Beira-Rio (a última havia sido em 1997) e o Atlético-PR na Arena da Baixada (desde 2008 o clube não desbancava).

O curioso de tudo isso, no entanto, aconteceu no dia 24 de abril, após a eliminação no Campeonato Paulista para o Santos, nos pênaltis. Animado com o desempenho do elenco e com as perspectivas futuras, ele profetizou que seria campeão brasileiro. E foi.

Como jogador

O ‘olê olê olê olá, Cuca, Cuca’ das arquibancadas começou em 1992, quando o atual técnico vestiu a camisa alviverde como jogador. Apesar da fase difícil (o Palmeiras não ganhava um título desde 1976, quando ergueu o Paulista), o atacante raçudo conquistou a torcida. Foram apenas 24 embates, com 13 triunfos, quatro empates e sete derrotas, e um vice estadual. Cuca, à época camisa 8, balançou as redes adversárias sete vezes (seis no antigo Palestra Italia).

Histórico

É o 27º caso de treinador com passagem pelo clube como atleta. Os anteriores foram Alfredo González, Amílcar Barbuy, Antônio Carlos Zago, Aymoré Moreira, Bianco, Chinesinho, Dino Sani, Dorival Júnior, Dudu, Emerson Leão, Ênio Andrade, Fabbi, Fedato, Humberto Cabelli, Jorginho Cantinflas, Julinho Botelho, Junqueira, Mário Travaglini, Minuca, Oswaldo Brandão, Picagli, Sylvio Lagreca, Valdemar Carabina, Valdir Joaquim de Morais, Ventura Cambón e Vicente Arenari.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post