Em jogo emocionante, Palmeiras soma ponto importante contra Flamengo

O Palmeiras foi ao Rio de Janeiro nesta quarta-feira (19), às 21h45 (de Brasília) para enfrentar o Flamengo, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro

No estádio Luso-Brasileiro, o Verdão empatou pelo placar de 2 a 2: os atacantes Willian e Róger Guedes marcaram os gols do Verdão. O ponto alto do jogo, porém, foi o pênalti batido por Diego, e defendido pelo goleiro Jailson em seu retorno.

Com 23 pontos no Brasileirão, o Verdão ocupa neste momento a quinta posição na tabela geral de classificação. A combinação de resultados dos jogos que encerram a 15ª rodada, porém, podem fazer com que Botafogo, Cruzeiro e Sport ainda fiquem à frente do Alviverde. O próximo compromisso do time do técnico Cuca será contra o Sport, no próximo domingo (23), às 16h, na Arena Pernambuco.

Com o resultado, o Palmeiras manteve um tabu positivo: o de não perder para o Flamengo desde 2014 (agora são três vitórias e três empates nos últimos seis jogos, com 13 pró e dez contra).

Além de realizar uma atuação de gala, com defesas difíceis e um pênalti defendido, o goleiro Jailson continua invicto em jogos válidos pelo Campeonato Brasileiro. Em 2016, o guarda-metas se destacou por substituir Fernando Prass (lesionado) na campanha vitoriosa do eneacampeonato brasileiro do Verdão.

Outro destaque do jogo foi Willian. Agora com 15 gols, o atacante atualizou sua marca de artilheiro do Verdão na temporada. Além disso, o camisa 29 do Alviverde é o único jogador do atual elenco a ter balançado as redes em todas as competições oficiais disputadas pelo time em 2017: balançou as redes pelo Campeonato Paulista, pela Libertadore, pela Copa do Brasil e pelo Campeonato Brasileiro.

Róger Guedes, autor do segundo gol palmeirense na partida, também conseguiu uma marca expressiva. Com a atuação, o atacante agora é o único jogador do Verdão a ter atuado em todas as partidas possíveis desta edição do Campeonato Brasileiro.

O jogo

A grande novidade no time do Palmeiras foi o retorno no goleiro Jailson ao arco palestrino – a última vez em que o atual camisa 14 do Verdão havia sido em março, pelo Campeonato Paulista, ainda sob o comando do treinador Eduardo Baptista – desde então, Fernando Prass vinha defendendo a meta do clube.

Logo nos primeiros minutos de jogo, o Palmeiras foi surpreendido quando. Guerrero, aos oito, deu assistência para o jogador Pará abrir o marcador, invadindo a área palmeirense e finalizando de primeira. (Flamengo 1×0 Palmeiras)

Mesmo ficando mais acuado após ter sido vazado pela equipe mandante, o Palmeiras não se rendeu e evitou novas investidas do adversário. O goleiro Jailson foi um dos destaques da defesa palmeirense: ele espalmou finalização perigosa de Everton, após falta cobrada por Diego, e jogou para a linha de fundo. No lance seguinte, Jailson, novamente, brilhou: foram duas defesas seguidas em sequência; uma delas, cara a cara com o camisa 35 do Rubro-Negro, Diego.

O Palmeiras ainda investiu em jogadas de contra-ataque, mas poucas vezes se aproximou da meta adversária. Após momentos de pressão, o Palmeiras conseguiu afastar a equipe carioca de seu campo de defesa.

Aos 31, o meia Zé Roberto, quase que do meio de campo, viu o atacante Willian disparar pela esquerda. No passe, Willian dominou e bateu no contrapé do goleiro rubro-negro, fazendo um belo gol (Flamengo 1×1 Palmeiras)

Nos últimos minutos de jogo o Alviverde conseguiu restabelecer o controle da partida e deixou de apenas se defender, e passou até a criar chances, impondo velocidade e cadência. E aos 41, após melhorar o desempenho em campo, o Verdão não desperdiçou com Róger Guedes, que recebeu de Mina para vazar os donos da casa. (Flamengo 1×2 Palmeiras)

Willian e Róger Guedes marcaram os gols do Verdão contra o Flamengo. (Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Willian e Róger Guedes marcaram os gols do Verdão contra o Flamengo. (Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Quase não havia dado tempo de assimilar a virada parcial, e os cariocas vieram com tudo para cima do Palmeiras, e conseguiram gol de empate com o peruano Guerrero, aos 43. (Flamengo 2×2 Palmeiras)

Antes de a primeira etapa terminar, Borja ainda entrou no lugar de Willian, autor do primeiro gol do Alviverde, que saiu de campo com dores. Desta forma, os dois times foram para o vestiário com igualdade no placar.

O segundo tempo começou explosivo, com os dois times mostrando muita disposição. O Palmeiras, por sua vez, soube administrar os ânimos e, mesmo jogando com mais velocidade, trabalhou bem as jogadas, sem precisar se deixar levar pela afobação.

O Palmeiras ia mandando no jogo quando e criava jogadas promissoras ao longo dos primeiros movimentos da segunda etapa, como no lance em que Michel Bastos cobrou escanteio aos 12: o zagueiro Luan cabeceou e ficou muito perto de marcar o terceiro do Palmeiras. Na sobra, a bola ainda passou por Thiago Santos, que se esticou para finalizar de cabeça, mas não conseguiu chegar – o volante palmeirense, dono da camisa 21, havia entrado no lugar de Bruno Henrique no intervalo.

Palmeiras passou a não dar espaço para o adversário, mesmo jogando em sua casa. Com todas as características de um time aguerrido, os jogadores palmeirenses se entregavam em campo para neutralizar toda e qualquer jogada do Flamengo.

Aos 25, Cuca mostrava muita agitação à frente do banco de reservas do Palmeiras. A todo instante, o comandante do Verdão instruía seus jogadores para que executassem bem as jogadas ensaiadas e trabalhassem mais a posse de bola.

O Palmeiras viveu o momento mais dramático da partida aos 29 do segundo tempo, quando Michel Bastos tentou segurar ataque orquestrado pelo rival, bem próximo à linha de fundo. Na tentativa de cortar a bola, no entanto, o lateral atingiu seu oponente, cometendo um pênalti.

Para delírio da torcida palmeirense presente no Luso-Brasileiro, a estrela de Jailson – que já vinha brilhando ao longo do jogo – cresceu ainda mais, e o arqueiro palestrino, no dia de seu retorno à meta alviverde após longo período no banco de reservas, espalmou a cobrança do meia flamenguista Diego para a linha de fundo. E o momento mais dramático se tornou o mais emblemático do jogo para o torcedor alviverde.

A terceira e última alteração do técnico Cuca visou reforçar o ataque, com Keno no lugar de Michel Bastos. Desta forma, o Verdão impôs ritmo até o final da partida. Mesmo com o adversário sem se render até os derradeiros minutos de jogo, o Palmeiras, por muito pouco, não fez o gol que seria o da vitória, aos 46, com Borja. Não demorou muito, e o árbitro baiano Jailson Macedo apitou, decretando o fim da partida em 2 a 2.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post