Sem caça às bruxas, Cuca analisa eliminação do Palmeiras na Copa do Brasil

Mesmo saindo à frente no placar, o Palmeiras não conseguiu superar o Cruzeiro, nesta quarta-feira (26), em Belo Horizonte-MG, e foi eliminado da Copa do Brasil

O empate em 1 a 1 em Minas foi insuficiente para o Verdão avançar de fase, já que o resultado no jogo de ida, dentro do Allianz Parque, foi de 3 a 3. Após o término do encontro com os mineiros, o técnico Cuca comentou sobre a desclassificação na competição nacional.

“A gente sente muito a derrota porque tinha a classificação em mãos. E não estava sendo perigosamente atacado a ponto de correr o risco de tomar o gol. Fica a dor, mas comandante tem de administrar, não tem de achar culpado. Lá dentro eu cobro amanhã tudo o que tiver que cobrar. Como tudo o que Deus faz é bom, se não foi para passar hoje, é para ter mais energia em outra situação. Queria ir adiante e ganhar a Copa do Brasil, mas não deu. Cruzeiro passou, não faremos terra arrasada, continuaremos melhorando”, declarou, analisando os minutos finais do duelo com o Cruzeiro.

“Entramos mais precavidos, com dois volantes, o que geralmente não faço. Fomos soltando, colocamos um meia, depois tivemos dois meias com Veiga e Dudu, os atacantes. Com o 1 a 0, você dá uma fechadinha, e o jogo estava controlado. Não era um lance casual, mas o lateral teve iniciativa. O Diogo Barbosa teve iniciativa. Foi para querer fazer o gol. Não tivemos a iniciativa de defender. Não é só o zagueiro que defende. Mesmo que a gente não estivesse acompanhando, a gente tinha de ter retido mais a bola no ataque. Eu só sinto porque a gente teve chance para matar o jogo. Não clara, mas a ocasião. Nós nos desfizemos demais da bola e estávamos livres para jogar. Isto pode ter ocasionado de o Cruzeiro vir para o abafa nos últimos cinco minutos e encontraram o gol”, falou.

Cuca elogiou os últimos jogos do time. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Cuca elogiou os últimos jogos do time. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

Por fim, o comandante elogiou as últimas exibições da equipe.

“Os jogadores reagiram bem às mudanças. Foi tudo elaborado. Um jogo deste porte você não ganha no primeiro minuto, mesmo saindo na frente. Quando a gente estava na frente faltou não se desfazer da bola. Não é assim. As trocas todas deram efeitos. Não posso analisar pelo gol que tomei. As trocas foram encaixando, jogando o time para frente. Se fizemos o gol no bate e rebate poderia ter feito antes, as chances iam surgir. O Palmeiras não está jogando mal, está relativamente bem, cada jogo é uma história. Jogou muito bem contra o Sport, hoje era duro, dois times grandes e se a gente passa não era injustiça nenhuma”, finalizou.

O Palmeiras volta a campo neste sábado (29), às 19h, para enfrentar o Avaí, no Allianz Parque, pela 17a rodada do Campeonato Brasileiro. Já na quarta (02), às 21h45, será a vez de visitar o Botafogo, no Rio de Janeiro, novamente pelo Nacional.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post