Guerra pede mais ‘concentração’ ao Palmeiras e assume: ‘Culpa é nossa’

O Palmeiras volta a campo no próximo domingo (20), às 19h, para enfrentar a Chapecoense, no Allianz Parque, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro

Quarto colocado no Nacional, agora o Verdão tem como principal objetivo terminar o ano entre os melhores da competição, garantindo assim uma vaga para a próxima edição da Conmebol Libertadores Bridgestone. Um dos destaques do atual elenco, o meia Guerra crê em uma evolução do time até o fim de 2017.

“A equipe não está jogando mal, penso que devemos estar mais concentrados. A concentração sempre fará diferença”, declarou. “A motivação é jogar por nosso orgulho e pela nossa família. Quando a coisa não sai bem, a gente vê as pessoas falando e a nossa família também sofre. Sempre temos de ter motivação, queremos fazer as coisas bem e temos de trabalhar. Agora temos um campeonato só para muitos jogadores. Será muito difícil, mas trabalharemos para pontarmos o máximo possível”, completou.

O meia Guerra concedeu entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (16). (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

O meia Guerra concedeu entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (16). (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

Campeão da Libertadores em 2016 com o Atlético Nacional-COL, o venezuelano não conseguiu repetir o mesmo sucesso com o Palmeiras nesta temporada. Experiente, o camisa 18 mostrou-se bastante compreensível com a insatisfação da torcida palestrina após a eliminação na competição internacional.

“É normal que a torcida esteja assim, a equipe foi montada para ganhar campeonatos. Fomos eliminados de três campeonatos, sempre haverá comentários ruins. Temos de estar preparados para isso. Temos de entendê-los, mas peço que eles nos entendam também. Primeiramente, nós somos seres humanos e depois jogadores. Não queremos errar”, afirmou o meia, aproveitando para destacar a postura da diretoria do Verdão.

“O presidente (Maurício Galiotte), o Alexandre (Mattos, diretor de futebol) e o Cícero (Souza, gerente de futebol) sempre estão conosco. Eles sempre estão falando e mostrando que estão conosco. A culpa é nossa (jogadores). Nós jogamos, eles não podem fazer nada. Eu peço desculpas pela vergonha (eliminação na Libertadores). Eles (diretores) querem fazer o melhor e motivar com diferentes coisas, mas nós não aproveitamos. Eles são pessoas muito boas, sempre estão com a gente. Dá vergonha ser eliminado da competição, mas eles não têm culpa de nada, fomos nós que jogamos”, finalizou.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post