Choro, sacrifício e promessa: em casa, Valdivia reencontra arena do Palmeiras

Na terça-feira, o Mago volta a campo na região onde viveu de 2010 a 2015. Titular do Chile, ele tenta classificação para a Copa da Rússia

 Um jogador da seleção chilena sabe tudo o que ocorre na região da Arena do Palmeiras, palco da partida da próxima terça-feira contra o Brasil, válida pela última rodada das Eliminatórias da Copa de 2018. Com duas passagens pelo Verdão, a última encerrada em agosto de 2015, Valdivia estará em casa quando entrar em campo no duelo que vale a vida da sua equipe em busca de uma vaga no Mundial da Rússia.

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Chileno Valdivia vai voltar a atuar no estádio do Palmeiras na próxima terça-feira (Foto: Ivan Alvarado/Reuters)

E quando se fala em casa não é uma expressão para apenas identificar o passado alviverde do atleta. Próximo ao estádio, o camisa 10 do Chile fixou residência com a esposa e os filhos em um apartamento com vista para a moderna fachada da arena palmeirense.

Antes mesmo da inauguração do estádio, em novembro de 2014, Valdivia adquiriu um camarote no local. Além de receber a família e amigos em dias de jogos, o espaço foi utilizado para o lazer em dias de shows. Foi dali que ele, machucado após um período na seleção chilena, viu o Verdão ser derrotado pelo Sport no primeiro jogo da equipe de volta para casa. Semanas depois, a estreia do Mago no local foi marcante.

Sacrifício e alívio

O Palmeiras lutou contra o rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro até a última rodada do torneio de 2014. Na arena, contra o Atlético-PR, o time então comandado por Dorival Júnior precisava vencer para não depender de outros resultados na luta pela permanência na elite.

Durante a preparação da equipe na semana que antecedeu ao jogo, Valdivia sentiu um problema muscular. Principal nome daquela equipe, o chileno foi a campo no sacrifício – ele precisou receber uma injeção anestésica para atuar.

No fim, mesmo com o empate em 1 a 1, o Palmeiras permaneceu na Série A. E o Mago, aplaudido nos vestiários pelos companheiros, viveu um dia de herói. Com direito até a desabafo e lágrimas ao término da partida.

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Valdivia saindo do gramado na Academia

Despedida e promessa

Sem nenhum gol marcado no palco da partida desta terça-feira, Valdivia se despediu do Palmeiras de maneira tímida. Em agosto de 2015, ele recebeu a reportagem do GloboEsporte.com em seu camarote pessoal, na arena, para dar suas últimas palavras como atleta do Verdão.

Ali, falou sobre a frustração de não permanecer no clube e dos problemas enfrentados no relacionamento com o presidente Paulo Nobre e com o diretor Alexandre Mattos. Mas, em uma mensagem de desculpa e agradecimento aos torcedores, prometeu um retorno. Nas palavras do chileno, mesmo que com “um contrato de uma semana, jogar um jogo e me despedir”. Dois anos e dois meses depois, mesmo que vestindo uma camisa com cores diferentes, ele está de volta.

O duelo da próxima terça-feira será o sétimo do Mago na arena palmeirense. Pelo Verdão, ele atuou seis vezes no local, com duas vitórias, três empates e uma derrota.

Carinho da torcida palmeirense

Ídolo do Palmeiras, Valdivia teve duas passagens pelo clube. Na primeira, ele chegou ao clube em 2006 e foi comandado por Tite, adversário desta terça-feira no confronto entre Brasil e Chile. Em alta após o título paulista de 2008, ele foi negociado com o Al Ain, dos Emirados Árabes Unidos.

O retorno ocorreu em 2010, após a Copa do Mundo da África do Sul. Após altos e baixos, e um relacionamento de críticas e elogios, ele foi peça importante na conquista da Copa do Brasil de 2012. O casamento entre o chileno e o Palmeiras chegou ao fim de 2015, mas o atleta nunca saiu do radar dos alviverdes.

Depois de encerrar seu vínculo com o Al-Wahda, o jogador atraiu atenção de torcedores palmeirense. Até Valdivia entrou na onde a agitou nas redes sociais ao postar uma mensagem genérica na internet: “só chamar que eu vou”. No fim, despertou interesse concreto do Santos, mas acertou o retorno ao Colo-Colo, do Chile.

Esperança do Chile

Titular contra o Equador, na última terça-feira, Valdivia teve uma boa atuação e completou sistema ofensivo ao lado de Arturo Vidal, Eduardo Vargas e Alexis Sanchez. Foi do Mago o passe para o primeiro gol marcado por Vargas – no fim da partida, Sanchez definiu a vitória dos donos da casa por 2 a 1.

Depois da partida, o chileno chegou a se emocionar ao falar sobre o retorno ao time titular – ele foi substituído aos 38 minutos do segundo tempo e deixou o gramado aplaudido pelos torcedores.

Sem poder contar com Vidal, que terá de cumprir suspensão automática, o Mago deve ser a principal peça do setor de armação da equipe de Juan Antonio Pizzi diante da seleção brasileira.

Os chilenos estão na terceira posição das Eliminatórias, com 26 pontos e dois atrás do vice-líder Uruguai – o Brasil ocupa a liderança isolada do torneio com 38 pontos. A disputa pelas vagas do continente é ampliada para Colômbia (na quarta posição com 26 pontos), Peru (na quinta posição com 25 pontos), Argentina (na sexta posição com 25 pontos) e Paraguai (na sétima posição com 24 pontos).

Os quatro primeiros colocados garante classificação direta para a Copa do Mundo da Rússia. O quinto colocado disputa a repescagem.

Publicado no Globo Esporte

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post