Palmeiras bate Ponte por 2 a 0 e mantém série positiva no Pacaembu

O Palmeiras derrotou a Ponte Preta no Pacaembu na noite desta quinta-feira (19) em partida válida pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro

Pelo placar de 2 a 0, o Verdão venceu o rival com gols de Keno e Borja e chegou aos 50 pontos na tabela do Brasileirão, a mesma pontuação do vice-líder, Grêmio. O Alviverde, portanto, é terceiro colocado do certame – fica atrás da equipe gaúcha pelo critério de desempate de vitórias (o Tricolor soma 17 triunfos enquanto o Verdão possui 15).

Com o resultado positivo, o Palmeiras chegou ao 10º triunfo diante da Ponte Preta em jogos disputados no Pacaembu. O estádio municipal, inclusive, foi palco de 16 duelos entre o Verdão e a equipe de Campinas: o Alviverde perdeu apenas um. Foram dez vitórias e cinco empates, com 25 gols marcados e dez sofridos.

Além disso, o Palmeiras engordou a sua lista de boas atuações no Pacaembu: o time vem de uma série invicta de oito jogos – já contando este contra o rival campineiro. Desde o seu último revés no estádio, sofrido para o Red Bull Brasil, no Paulistão de 2016, o Verdão venceu o Rio Claro (por 3 a 0, no Campeonato Paulista de 2016), o Corinthians (por 1 a 0, no Campeonato Paulista de 2016), o Grêmio (por 4 a 3, no Campeonato Brasileiro de 2016), o Novorizontino (por 3 a 0, no Campeonato Paulista de 2017), novamente o Grêmio (por 1 a 0, no Campeonato Brasileiro de 2017), o Coritiba (por 1 a 0, no Campeonato Brasileiro de 2017), empatou com o Bahia (2 a 2, no Campeonato Brasileiro de 2017) e, agora, venceu a Ponte Preta (2 a 0, no Campeonato Brasileiro).

Com o gol marcado, o Palmeiras chegou a 42 bolas na rede nesta edição do Nacional e é o time com o ataque mais positivo da Série A, ao lado do Grêmio. O principal artilheiro do Verdão no torneio é o atacante Willian, com sete gols, seguido de Guerra e Keno, com cinco. O camisa 29 também é o artilheiro alviverde na temporada, com 17 tentos.

Curiosamente, todas as vezes em que Keno ou Borja marcaram gols, o Palmeiras jamais foi vencido. O detalhe é que ambos têm oito gols com a camisa esmeraldina. O camisa 27 do Verdão marcou contra a Ferroviária (4 a 1, no Allianz Parque), contra o Atlético Tucumán-ARG (1 a 1 no Monumental José Fierro), Fluminense (3 a 1 no Allianz Parque), Bahia (4 a 2 na Arena Fonte Nova), Sport (2 a 0 na Arena Pernambuco), Cruzeiro (1 a 1 no Mineirão) e contra o São Paulo (4 a 2 no Allianz Parque). Já o camisa 9 palmeirense marcou uma vez contra a Ferroviária (4 a 1, no Allianz Parque), uma contra o Red Bull Brasil (3 a 1, no Moisés Lucarelli), contra o Novorizontino duas vezes (uma nos 3 a 1 no Jorge Ismael de Biasi e outra nos 3 a 0 no Pacaembu), outras duas vezes contra o Vasco (na goleada por 4 a 0 no Allianz Parque) e contra o Atlético-GO (1 a 0 no Allianz Parque). E nesta quinta-feira, contra a Ponte Preta, com a vitória por 2 a 0 no Pacaembu, a dupla de atacantes aumentou a lista de invencibilidade em jogos em que vazaram o adversário.

Borja marcou o seu oitavo gol com a camisa do Palmeiras. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Borja marcou o seu oitavo gol com a camisa do Palmeiras. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

Além da vitória, três jogadores especialmente tiveram algo a mais para comemorar. Tchê Tchê chegou ao seu 85º jogo com a camisa do Verdão, enquanto Keno, autor de um dos gols da vitória palmeirense chegou à sua 45ª atuação, e Mayke, que agora acumula 20 jogos envergando o manto palestrino.

O Alviverde viaja ao Rio Grande do Sul para enfrentar o Grêmio, na capital Porto Alegre, na Arena do Grêmio, em partida válida pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro, a ser disputada neste domingo (22), às 17h.

O jogo

O primeiro tempo do Palmeiras começou intenso, com o Verdão impondo o ritmo desde os minutos iniciais. O Verdão chegava constantemente com finalizações perigosas, como as de Willian, aos seis, e a de Moisés, aos 15, que assustou o goleiro Aranha após cruzamento de Egídio.

O lateral-esquerdo palmeirense, inclusive, fez uma boa partida, com lançamentos precisos e marcando presença nos lances importantes que requisitavam sua participação. Seguro no arco, o goleiro Fernando Prass também não deixou nada a desejar, sendo fundamental, inclusive, nos poucos lances perigosos impostos pela Ponte Preta.

A dupla de zaga formada por Edu Dracena e Juninho fez seu papel: os dois estiveram sempre atentos nos lances promissores. Do outro lado, Mayke fez uma ótima participação na lateral direita e não deu vez aos adversários.

Após muito insistir, o Verdão finalmente abriu o placar com gol de Keno, que aproveitou o rebote de Moisés e dividiu com o marcador antes de chutar de pé direito e estufar as redes da equipe visitante. (Palmeiras 1×0 Ponte Preta)

O Alviverde manteve a posse de bola e trabalhou jogadas pelo meio de campo formado por Tchê Tchê, Bruno Henrique e Moisés, que ligava o ataque formado pelo trio Dudu, Williane  Keno.

Ainda no primeiro tempo, Willian sentiu dores e precisou deixar o campo, aos 38. Em seu lugar, entrou o também atacante Borja, que deu sequência ao trabalho ofensivo ao lado de seus companheiros de equipe.

Na reta final do primeiro tempo, o ritmo da partida desacelerou e o Verdão manteve o controle do resultado, levando o jogo para os vestiários com vitória parcial por um gol de diferença.

No segundo tempo, o Palmeiras voltou sem novidades no time comandado pelo técnico Alberto Valentim. Dando continuidade ao bom desempenho da etapa anterior, o Palmeiras passou a pressionar a Ponte Preta na saída de bola e manteve a marcação dura para não ceder espaço.

Algumas investidas palmeirenses fizeram o Verdão chegar mais perto de ampliar a vantagem, como nos lances perigosos armados pelo capitão Dudu, sempre muito promissor nas bolas paradas, e até mesmo por Edu Dracena, que, forte na zaga, também mostrou-se eficiente ataque, assustando o goleiro campineiro, aos 22, após cobrança de escanteio de Dudu.

Foi então aos 27 minutos do segundo tempo que o colombiano Borja marcou o seu oitavo gol com a camisa do Palmeiras: após receber de Keno, deu um tapa na bola, tirando de Aranha e do zagueiro adversário, e completou o lance cabeceando a bola, que entrou devagar após ciscar na trave. (Palmeiras 2×0 Ponte Preta)

E os dois gols não foram suficientes para fazer com que o Alviverde cessasse o ataque ao time rival. O Verdão manteve a pressão e até aumentou o embalo da partida, passando a jogar no campo de defesa da Ponte Preta.

Antes de o jogo acabar, Arouca ainda entrou no lugar de Tchê Tchê, aos 39 minutos, e retornou a campo após nove meses fora por lesão. Felipe Melo foi outro atleta que ajudou a compor o meio de campo do time alviverde na reta final da partida, entrando aos 40 minutos. Com controle absoluto do jogo, o Verdão teve sua vitória decretada ao apito do árbitro Leandro Bizzio Marinho, aos 48.

Palmeiras: Fernando Prass; Mayke, Edu Dracena, Juninho e Egídio; Bruno Henrique, Tchê Tchê (Arouca) e Moisés (Felipe Melo); Keno, Dudu e Willian (Borja).

Gols: Keno (27’/1ºT) (1-0), Borja (27’/2ºT) (2-0)

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post