Com gols de T.Santos e pênalti pego por Jailson, Verdão vira sobre Red Bull

Em partida emocionante, o Palmeiras superou o Red Bull por 2 a 1 em partida válida pela 3ª rodada do Campeonato Paulista 2018, no Allianz Parque, na noite desta quinta-feira (25)

Com direito a pênalti defendido e virada nos minutos finais, o Alviverde possui 100% de aproveitamento na competição – é a única equipe do torneio com tal desempenho.

Ao completar 38 jogos diante do Red Bull, um dos grandes nomes do jogo, Jailson, ampliou uma marca expressiva: o goleiro fez sua 24ª atuação consecutiva sem saber o que é perder – ficou marcado na partida desta quinta-feira (25) pelas defesas milagrosas e pelo pênalti defendido. O detalhe curioso é que o atual camisa 42 do Verdão possui uma única derrota em todos os seus jogos pela agremiação alviverde.

O Verdão ampliou seu retrospecto jogando no dia do aniversário da cidade de São Paulo: agora são 14 jogos disputados em dias 25 de janeiro, com nove vitórias, quatro empates e uma única derrota (o Alviverde balançou as redes 28 vezes e foi vazado em 18 ocasiões).

O Palmeiras também se aproxima cada vez mais do 100º jogo no Allianz Parque. O jogo diante do Red Bull foi o de número 96 do Verdão na arena – a moderníssima casa palmeirense tem a configuração atual desde 2014, quando foi inaugurada após o antigo Estádio Palestra Italia passar por quatro anos de reforma.

Individualmente, a partida foi emblemática para dois jogadores em especial: Dudu e Bruno Henrique. O camisa 7 completou 165 jogos pelo Verdão com a atuação contra o Red Bull, enquanto o camisa 19 chegou ao seu 20º jogo trajando o manto esmeraldino.

O Verdão volta a campo no próximo domingo (28), às 17h (de Brasília), para encarar o Bragantino no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP). Em seguida, o Alviverde terá clássico pela frente: irá duelar com o Santos, no Allianz Parque, no dia 04/02 (domingo), às 17h (de Brasilia).

As novidades foram Mayke no lugar de Marcos Rocha, na lateral direita, Thiago Santos como titular no lugar de Felipe Melo, no meio de campo, e Keno na vaga de Willian, no ataque – estes três jogadores que foram titulares na segunda partida, contra o Botafogo, estavam no banco de reservas no jogo diante do Red Bull.

O duelo começou com o Verdão apresentando um bom futebol, acertando passes de média e longa distância, com os setores defensivos e ofensivos trabalhando em perfeita sintonia. Do banco de reservas, Roger Machado dava as instruções táticas aos atletas palestrinos.

Aos nove minutos o Verdão dominava a partida, mas uma falha pontual quase custou caro ao time da casa: Jailson fez milagre defendendo uma bola venenosa de Rodrigo Andrade, meio-campista do Red Bull, à queima roupa.

A resposta não demorou a vir. Quando o relógio marcava 13 minutos de bola rolando, Lucas Lima cobrou falta da intermediária. Na grande área adversária, a bola ficou viva, e houve um bate-rebate. Por muito pouco, o Verdão não abriu o marcador.

E a pressão continuou! Três minutos após quase sair na frente com uma confusão na área, o Alviverde ficou no quase novamente, desta vez com Borja, que recebeu passe em profundidade e chutou cruzado de dentro da área contra a meta adversária. Para contagiar ainda mais o torcedor presente no Allianz Parque, aos 18 minutos Dudu aplicou lindo chapéu sobre seu marcador, na ponta esquerda do campo.

Mesmo criando as melhores oportunidades, o Palmeiras foi acometido pelo Red Bull Brasil em lance de cruzamento, aproveitado pelo atacante Eder Luis, que, de cabeça, aproveitou a jogada sem dar chance ao goleiro Jailson aos 21 minutos do prélio. (Palmeiras 0x1 Red Bull)

Após o gol, o Palmeiras passou a ir com tudo para cima da equipe visitante. Até o lateral Victor Luis passou a apoiar outros setores do time sem ser a defesa, como o meio de campo e o próprio ataque. Aos 28, Keno ganhou escanteio para o Verdão, após passe de Borja, que correu para a área esperando sua devolução antes de o zagueiro rival desvia-la para a linha de fundo.

Aos 35 minutos, jogadores reclamaram de pênalti em Borja, que estava com a bola dominada na grande área rival – o árbitro Jose Claudio Rocha Filho estava em cima do lance, mas mandou o jogo seguir. Na sequência, Tchê Tchê disparou uma bola colocada praticamente no ângulo do goleiro Júlio César, que foi buscar, para aumentar a angústia e apreensão da torcida palmeirense.

Sem dar espaço para o Red Bull e trabalhando a posse de bola, o Verdão se encaminhou para os minutos finais da primeira etapa com o domínio pleno, visando o gol de empate. O Verdão ainda conseguiu construir algumas jogadas boas de ataque – uma delas com Dudu e Lucas Lima trabalhando a bola até a grande área.

De tanto insistir, o Verdão conseguiu gol já nos acréscimos da primeira etapa, em bola cruzada por Lucas Lima na grande área, desviada pelo camisa 5 palmeirense, Thiago Santos, de cabeça, para delírio da massa alviverde. (Palmeiras 1×1 Red Bull)

O Palmeiras voltou do vestiário sem alteração, e logo aos dois minutos de bola rolando veio a primeira grande chance do Palmeiras, com Borja, que recebeu passe em profundidade e saiu em disparada: quando chegou na área, os marcadores já estavam em cima – o atacante conseguiu girar e chutar, mas a bola desviou no goleiro e se encaminhou lentamente em direção ao gol do Red Bull, até a zaga do time visitante afastar o perigo daquele que seria o gol da virada.

O susto imposto pelo Verdão no primeiro lance do segundo tempo seria um prenuncio do que iria acontecer durante toda a etapa. Aos 11 minutos, Dudu quase marcou um golaço encobertando o goleiro do Red Bull após sair em velocidade pela direita.

Visando manter o bom ritmo do Verdão em campo, o técnico Roger Machado decidiu mexer no time: aos 20 minutos, entraram Bruno Henrique e Willian nos lugares de Tchê Tchê e de Keno.

Após as mudanças, o Palmeiras continuou exercendo pressão sobre o adversário da vez nos minutos seguintes. Aos 28, outra alteração: desta vez, o meia Guerra entrou no lugar do atacante Borja.

Aos 30 minutos, um fato surpreendeu o time do Palmeiras negativamente. O árbitro viu pênalti do zagueiro Antônio Carlos no atacante Eder Luis. Neste momento, o clima de tensão pairou na arena palmeirense.

Para delírio da torcida, no entanto, Jailson correspondeu ao posto de goleiro titular e defendeu não só o pênalti batido por Rodrigo Andrade, como também segurou firme o rebote perigoso do time adversário.

A partir deste episódio em campo, o clima ficou extremamente favorável para o lado do Verdão: logo aos 34, Rodrigo Andrade, do Red Bull, foi punido com o segundo cartão amarelo por cometer falta sobre Thiago Santos. Desta forma, o jogador foi automaticamente expulso.

Com um jogador a mais na reta final do embate,  o Palmeiras exerceu pressão até o fim e encontrou novamente com Thiago Santos o gol da vitória, após receber cruzamento cirúrgico de Thiago Martins e chutar com força máxima para o fundo do gol adversário, aos 42 minutos do segundo tempo. (Palmeiras 2×1 Red Bull)

Thiago Santos marcou os dois gols da virada do Palmeiras sobre o Red Bull. (Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Thiago Santos marcou os dois gols da virada do Palmeiras sobre o Red Bull. (Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Sem grandes sustos, o Alviverde dominou a partida após a virada e valorizou a posse de bola, garantindo três pontos e o retrospecto vitorioso: 100% de aproveitamento (é o único time do Paulistão 2018 com tal desempenho).

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post