Palmeiras bate o Santo André por 3 a 1 na estreia do Paulista

Cabeça de chave do Grupo C, o Palmeiras recebeu o Santo André, na noite desta quinta-feira (18), no Allianz Parque, pela primeira rodada do Campeonato Paulista de 2018

Com gols de Willian, Lucas Lima e Keno, o Verdão superou o adversário por 3 a 1 e iniciou o certame com o pé direito.

O resultado favorável foi fundamental para que o Verdão mantivesse um interessante tabu positivo: desde 1996, o Palmeiras está invicto em partidas de estreia no Paulistão: são, ao todo, 22 jogos desde então (15 vitórias e sete empates, com 51 gols marcados e 23 sofridos).
Individualmente, a partida teve sabor especial para o zagueiro Antônio Carlos, para o meia Tchê Tchê e para o atacante Keno. O camisa 25 do Verdão completou 10 jogos pelo clube, enquanto o camisa 8 chegou à sua 95ª partida; já o dono da camisa 11 chegou ao seu jogo de número 55.
Ao voltar a atuar, o goleiro Jailson completou sua 36ª partida pelo Verdão. O fato curioso é que o atual camisa 42 do Verdão possui uma única derrota em todos os seus jogos pela agremiação palestrina, sendo que esta foi a 22ª atuação invicta consecutiva.
Com a partida de hoje, o Palmeiras se aproxima ainda mais do 100º jogo no Allianz Parque. Atualmente, o time alviverde acumula 95 partidas na arena – a moderníssima casa palmeirense tem a configuração atual desde 2014, quando foi inaugurada após o antigo Estádio Palestra Italia passar por quatro anos de reforma.
O Alviverde volta a campo no próximo domingo (21), quando visita o Botafogo-SP, em Ribeirão Preto (SP) – no Estádio Santa Cruz –, para disputar a segunda rodada do torneio estadual visando os três pontos.
Palmeiras estreiou no Paulistão com vitória por 3 a 1 sobre Santo André. (Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+

Palmeiras estreiou no Paulistão com vitória por 3 a 1 sobre Santo André. (Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

O jogo
O primeiro tempo começou equilibrado, com as duas equipes mostrando cautela nos minutos iniciais da partida. Apesar do futebol comedido, o Palmeiras mostrou desde os primeiros momentos ser cirúrgico e estar trabalhando os fundamentos técnicos e táticos em perfeita sintonia.
Com Jailson no gol – a recente novidade do time –, o Palmeiras fez um ótimo primeiro tempo, sobretudo, no que se refere ao setor defensivo, com os laterais Victor Luis e Marcos Rocha respaldando a zaga formada por Antônio Carlos e Thiago Martins.
O meio de campo, formado por Tchê Tchê, Lucas Lima e Felipe Melo mostrou jogadas criativas, sempre apoiando o ataque comandado por Dudu, Borja e Willian. Na beira do campo, o técnico Roger Machado – que fez sua estreia no comando da equipe – instruía o time o tempo todo.
Após alguns minutos de bola rolando, o Alviverde passou a se soltar mais em campo e partiu para a criação de jogadas ofensivas. Após algumas tentativas, o Alviverde finalmente abriu o placar, aos 27 minutos,  com Willian, que aproveitou o rebote do chute de Borja, que havia recebido lançamento de Felipe Melo (Palmeiras 1×0 Santo André)
O Verdão ainda fez jogadas promissoras e se mostrou forte de um ponto de vista tático. Aos 34 minutos, uma confusão na zaga palmeirense até assustou a equipe palmeirense, mas o zagueiro Antônio Carlos, mesmo pressionado, aplicou uma linda caneta no atacante do time andreense e afastou o perigo.
Disciplinado em todos os setores, o Palmeiras também contou com o empenho de seus jogadores para apoiar nas mais diversas ocasiões, como aos 37, quando o atacante Borja voltou para o campo de defesa e ajudar na marcação.
Com um futebol bonito no  primeiro tempo, o Alviverde ainda encontrou o segundo gol nos minutos finais da etapa, aos 36, com o estreante Lucas Lima, e foi para o intervalo com dois gols de vantagem e tranquilidade para trabalhar na etapa seguinte. (Palmeiras 2×0 Santo André)
Se no primeiro tempo o Verdão apresentou um futebol vistoso, na segunda etapa ficou um pouco abaixo em relação aos primeiros 45 minutos. Logo aos 13 minutos de jogo, o Santo André se aproveitou de um Palmeiras mais lento e diminuiu com Joãozinho. (Palmeiras 2×1 Santo André)
Os mais de 31 mil torcedores viram o Palmeiras tentar reagir, mas durante um determinado período do segundo tempo o time visitante exerceu certa pressão sobre o Verdão. Tanto que, aos 19, o Alviverde teve muita sorte e por pouco não sofreu o gol de empate: a bola bateu em Jailson e no mesmo lance acertou duas vezes a trave.
Após o susto, Roger Machado decidiu fazer a primeira alteração no esquadrão palmeirense: tirou Tchê Tchê para a entrada do também meio-campista Bruno Henrique. Aos 21, troca de atacantes: foi a vez de sair Dudu para a entrada de Keno. E aos 31, o técnico palmeirense realizou a sua última alteração: mexeu na zaga, colocando Juninho no lugar de Antônio Carlos.
A partir das mexidas do técnico alviverde, o Verdão passou a reagir e voltou a se impor em campo, encontrando o terceiro gol. Aos 38, o Palmeiras matou o jogo e mostrou autoridade com o gol de Keno, que havia saído do banco de reservas menos de 20 minutos antes: veloz, o atacante alviverde driblou o zagueiro Domingos, do Santo André, após fazer linda tabela com Lucas Lima, e não perdoou. (Palmeiras 3×1 Santo André)
Os últimos dez minutos de jogo (incluindo os três minutos de acréscimo) foram tranquilos para o Alviverde, que até criou jogadas perigosas, assustando a defesa adversária. Com o triunfo, o Verdão somou três pontos em sua estreia no Paulistão.

Veja mais

Autor: MP

Canal feito por palmeirenses e para palmeirenses. Notícias e opiniões com uma dose de arquibancada. Nossa missão é garantir informação de qualidade sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Compartilhe Este Post